Sem intenção alguma

Não foi culpa sua, foi minha. Eu me perfurei com nossas palavras afim de que tudo aquilo que eu sinto escorresse. Quis que você olhasse para mim e me garantisse que tudo ficaria bem, independente do quanto eu sangrasse, que eu estaria respirando até qualquer outro dia. Nossos olhos marejados não estavam com as mesmas expressões. Enquanto um ainda tentava erguer um sorriso, outro mantinha o sinal de lamento. As expressões se mantinham, até ambos começarem a mostrar seus desesperos. Como aquilo acabaria? Não houve uma causa desde o início então porque isso agora? Erroneamente, o que tinha de ser feito estava sendo feito. Não faltou nada que pudesse deixar aquele momento mais conturbado o possível, nem mesmo nossa falta de intenções.