A Revolução não será Televisionada, mas o Cinema participará dela

Texto por Pereira Santiago com fotos da Mídia NINJA

O Circo Voador ontem choveu boas novas no “Cinema pela Democracia”. Muita gente boa fervilhou possibilidades para o momento que vivemos. Atores, diretores, técnicos da vida cinematográfica se reuniram para pensar uma outra narrativa possível para nossa história de agora. Isto no mesmo dia em que a Polícia Federal divulga uma extensa lista de políticos envolvidos com o mais novo escândalo da LavaJato envolvendo a empreiteira Odebrecht.

Saber da possibilidade de golpe, destituição de uma presidente eleita democraticamente, saber de uma farsa midiática fez juntar 500 representantes da produção cinematográfica do Rio de Janeiro, de acordo com um dos organizadores, Lencinho.

O “Cinema pela Democracia” debateu as ideias e possibilidades que este momento político abre para nós. As ideias estão produzido boas notícias. Notícias muito diferentes das que vêm sendo rodadas pela Rede Globo e afins.
Fazer cinema é coisa séria. A roteirista Renata Corrêa afirmou: “O audiovisual sempre pautou a história. Nós temos a responsabilidade de pautar o discurso. E ele precisa mudar radicalmente.”

E foram tantos outros artistas que levantaram perguntas sérias para conduzir as próximas ações deste setor cultural.

O que queremos produzir culturalmente com esta efervescência política no Brasil? Qual roteiro iremos organizar, já que o da grande mídia não nos serve?

Conclui-se, pois, que é necessário fazer um Ato sim! O Brasil merece um Ato enorme. Mas quais direitos nós queremos defender em nossa Democracia? Quais temos que ampliar?

O clima só esquentou e a cena ficou Preta com a participação da juventude do CRUA (Coletivo Criativo de Rua) e da Maré, estudantes de cinema pelo Centro Afro Carioca. Suas falas certeiras e cheias de força marcaram a reunião comprovando que a classe artística do cinema não está só no meiote do centro do Rio de Janeiro.

Todo esse caldo cinematográfico rendeu para o Rio um Manifesto Cultural que será realizado na terça-feira, 29 de março, 17 horas, na Central do Brasil! Além do indicativo de participação geral no Ato Nacional do dia 31.

Na luta por Democracia cada dia é um novo clímax. As mudanças vão chegando com a força do povo. A revolução definitivamente não será televisionada. Mas o Cinema participará dessa revolução!