Patio Solar — Temporada

Também tem sombra

Patio Solar é uma banda chilena, formada por protuberantes 5 espinhosxs, que atualmente já estão na fase final do Roacutan, porém, no inicio de 2015 lançaram um disco extremamente bem acabado e arejado. A capa não necessita de nenhuma identificação, da pra notar claramente a incidência solar — no que seria atrás do murou — um patio. Já o titulo da obra a resposta é encontrada em seu conteúdo.

Acostume-se com nosso bisturi, por que aí vem mais uma dissecação de charque.

Sabe aqueles primeiros acordes que tu escuta de uma musica e já aperta o botão do the voice pra baixar ilegalmente o disco? Pois bem, esse é o primeiro contato com os segundos iniciais do disco, quando uma harmonia pseudo chiclete é bem trabalhada. En Casa Nueva somos apresentados ao modelo semi padrão que ira percorrer o disco todo, guitarrinha solinho toda a musica no fundo tomando o protagonismo de vez em quando, com guitarrinha base chucre variando com uma viola dando encorpada, misturando com uns teclads semi lo fi & dreampop, bateria agitadinha shoegaze, tendo como destaque o baixo bem evidenciado com ótimos arranjos e a voz camuflada do vocalista. Letras sinceras e bem delimitada o seu pertencimento, a adolescência. Coisa na qual foi o acerto deles, não se esforçar em ser algo que não são, maturidade suficiente para reconhecer e eximir os sentimentos pós puberdianos.

É incrível a capacidade de toda essa soma resultar em algo genial, en Pintura, percebemos as pinceladas alto astral que são dadas no vento com a guitarra, tendo refrãozinho onomatopeico. Emociones que passán. Acabamos encontrando Todo Trasciende Aqui, com direito a mais, sim senhores, refrõezinhos onomatopeicos, antes tchururu agora djururu, letra ingênua que cativa a todos. Él Vertigo, reduz a marcha e da uma pitada mais intelemotiva, com esse refrão “me quiero casar com tu voz, la quiero para dormirme, la quiero para asfixiarme”, quem não quer uma voz pra se asfixiar enquanto dorme não? A do vocalista quase faz isso…

Galera reunida pra jogar Magic!!

Lo Bien Que Se Ven, tem como diferencial o tecladin mais evidenciado, vale ressaltar que até aqui todos esses sons casam ótimo com praia, sol e dançar sozinho. Al Sur, nos direciona aos estados emocionais, literalmente. Costanera tem uma ótima introdução, que te coloca na encosta, mas ao invés de te empurrar, faz você dançar, também carrega um astral mais reflexivo emotivo, com um solinho que faz questão de te convencer que é diferente dos outros sons, mas la no fundo sabemos que vem da mesma origem de todos os outros, embora a estrutura da música vareia na veia. Paseo, não senti nada de passeio e sim um Alan’s Psychedelic Breakfast do Floyd. Destellos de Algo já se inicia como uma música de despedida, porém, isso não significa que é uma música de fim de disco, embora seja.

Temporada é aquelas férias na praia, presente no imaginário ou na nostalgia. Com uma excelente produção, porém, o som de fácil assimilação pode diluir a extrema quantidade de detalhes que estão presentes, por isso é muito importante a atenção e bons fones de ouvido. Outra característica mucho crazy, é o fato que mesmo as músicas sendo Be Happy, se você as escutar triste, desanimado e etc. não haverá um efeito Beyoncezador, pelo contrário, você ira os escutar por um viés extremamente melancólico, então não se iluda com toda essa felicidade nas músicas, por que elas não vão lhe ajudar no momento que precisa. Só Beyonce salva.

E para aprofundar esse debate, chamamos mais uma vez o professor Edvaldo:

“Sem dúvidas um disco impulsionado por uma ingenuidade sacra jovial, apoiada em uma rede de fortalecimento na qual lhes da legitimidade e mesmo assim pode ser escutado por pessoas de qualquer idade, dada ao seu universalismo, pois está INTRÍNSECO no intimo de todos tais questionamentos questionadores das questões. Além de representarem não de maneira expositiva, mas como exemplificação, o GRITO e destaque da juventude chilena, que há pouquissimo tempo protagonizou diversas manifestações pela educação, desconstruindo essa sociedade adultocentrica!!!!!! Com seus versos clamando pela unidade e mostrando a todos os retratos das relações afetivas e de amizade desse momento ÚNICO do ser humano. Um disco bom.”

Cada feição mais expressiva que a outra. Fim.

Mijo Indie é colaborativo e aberto, mande sua resenha!! :U

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.