QUERO SER O MAR

Essa semana tive uma daquelas conversas em que você se descobre sabe? Aquelas conversas que levam horas, mas que estão longe de ser uma perda de tempo. Aquelas conversas sobre tudo e ao mesmo tempo sobre nada. Aquelas conversas que hoje em dia são uma espécie em extinção.

Nessa conversa eu abri meus olhos. Eu estava cega, não via o que eu havia me tornado na tentativa de me encaixar. Nesse mundo onde as aparências têm tido cada vez mais importância para aqueles que não conseguem enxergar a beleza do interior, eu tentei ser e mostrar algo que não é quem eu sou. E agora eu descobri, que não é também quem eu quero ser.

Tem uma frase que diz que não é porque você se encaixa em um lugar que você pertence a ele. É exatamente assim que me sinto. Consegui me encaixar, mas não me sinto completa, eu perdi a minha essência tentando agradar quem não se importava.

Às vezes é no nosso vazio que a gente se encontra, eu me perdi, mas agora estou me buscando. E pode ter certeza que eu vou me encontrar, no meu vazio, e só assim eu vou poder me sentir completa de novo. Porque não importa quantas pessoas você tem ao seu redor ou o quão sozinho você é, não é uma questão do exterior, o que importa é o seu interior estar preenchido, mas não de futilidades ou quereres dos outros, ele tem que estar cheio de você, aquele você que estava presente desde sua infância mas foi se perdendo à medida que as prioridades foram mudando.

O meu grande desafio hoje, e acho que também é o da humanidade, é encontrar esse interior criança, que era o que era e não pedia desculpas por isso. Como uma espécie de síndrome do Peter pan, não quero envelhecer, não digo de aparência ou idade, isso eu quero sim, pois acho que pra cada fase da vida aprende-se coisas novas e se ganha experiência, mas não quero envelhecer o meu eu, quero continuar quem eu sou, sem deixar que as experiências da vida me mudem. Eu quero ser o mar, pois esse independente do que acontece na sua superfície, não abala suas profundezas, lá ele é ele mesmo, ele não muda, e é lindo, apesar de nem todos enxergarem…