Você já se reinventou hoje?

Já ouviu a frase: Você é muito novo e não sabe o que fala? — Então, pegue e jogo no lixo.

Colaboração, é disso que o mundo precisa, ajuda mútua para a construção de um empério empírico enorme através do convívio e descobertas, visando sempre a melhoria do mundo em diversos aspectos. E sem dúvidas esse foi um dos legados que vivenciei no Hackathon de Educação. Há tempos eu não me sentia tão bem em algum lugar com pessoas que não conhecia. Mas essa corrente foi rompida ontém…

Voltando ao título (Imaginem um sorriso de orelha à orelha, é o meu).
 Ver a galera se empenhando e discutindo pontos importantes para a mudança do futuro é indiscutivelmente inspirador. Nunca entendi o fato dos adultos muitas vezes descartarem a opinião dos mais novos. E essa dúvida só aumentou após algumas coisas sensacionais que escutei de pessoas tão novas e que tinham a mesma queixa, e tiveram seu momento de “desabafar” com pessoas que estavam ali para isso, escutá- las.

Cerca de 10 horas após o evento terminar, e eu ainda estou em puro êxtase espiritual, não quero mais nada!

Sabe? É incrível como as pessoas possuem a capacidade de nos fazer sentir e refletir que somos tudo e ao mesmo tempo nada, nos colocar em crise existencial (no bom sentido, claro) com seus pontos de vista, realidades, desejos e realizações em uma fração de segundos. E isso é ótimo, pois as crises estão aí para aprendermos à lidar e dar valor às coisas, e no fim disso tudo tirar alguma lição, e ao passar pela situação que desencadeou essa crise, você saberá o que fazer. E assim, como em uma das músicas que tocou na Playlist do evento ontém: “Dançar na chuva, quando a chuva vêm…”

O que eu trouxe do Hackathon?

Trouxe:
3 Pacotes de felicidade;
5 Unidades de inspiração;
3 Enormes vontades de querer fazer coisas novas sem medo de errar;
e mais um milhão de coisas que estão todas bagunçadas dentro de mim, que nem consegui descrever ainda;

É ótimo saber que existem pessoas que querem o bem do mundo tão pertinho da gente. Pessoas que sabem que juntos as coisas fluem melhor e que a competição nada mais é, que uma farsa, pois não há perdedor quando todos ganham.