Cosplay Lab 2017 — Minha experiência

Hoje é dia de textão 8D

Nesse post eu vou falar de toda a minha experiência no Cosplay Lab de uma forma mais pessoal.

Eu fui pra esse workshop com uma missão bem clara: compartilhar com vocês tudo o que eu aprendesse lá. Acho que isso criou uma expectativa muito mais voltada pra conteúdo. Quando cheguei lá e percebi que não se tratava só de pegar conteúdo e aprender coisas técnicas, algumas coisas aconteceram.

De repente eu estava lá sentada ao lado de pessoas que eram minhas referências. Pessoas muito mais experientes, famosas, incríveis, extremamente talentosas. Com toda aquela pressão de estar sozinha em outro país, me esforçando pra entender e me comunicar com um vocabulário bem específico em uma outra língua, interagindo com 40 e tantas pessoas que eu nunca vi na vida, cansada de toda a correria, me adaptando ao jet lag. Tudo me deixou bem exausta, de verdade. Foi nessa parte que eu comecei a ter uma crise cosplayástica/existencial. Comecei a achar que eu não devia estar ali, que eu não era boa o bastante…Em determinados momentos eu estava convicta de que assim que eu voltasse pro Brasil, eu ia aposentar de vez e vender todas as minhas coisas de cosplay.

Claro que essa sensação não durou pra sempre. A cada dia, a cada troca de experiência, a cada workshop, eu juntava mais caquinhos da minha autoestima e me convencia de que eu estava sim no lugar certo XD Eu fui conhecendo mais as pessoas, fui me adaptando aos horários, a comunicação ficou mais fluida e natural. Eu não estava mais me esforçando pra estar presente. No final da mesa redonda do dia 2, quando a conversa ficou bem emotiva, eu percebi uma coisa. Todos estavam compartilhando os motivos pelos quais gostavam de fazer cosplay, especificamente de LoL. E eu me lembrei dos motivos pelos quais EU faço cosplay. Era basicamente a mesma coisa. Estávamos todos ali unidos por uma coisa muito legal. Pessoas de todos os lugares do mundo estavam ali por um mesmo motivo.

Mas o dia que mais me impactou foi o dia 3. Conhecendo o campus da Riot eu me lembrei de que o mundo era muito maior do que a minha vida cotidiana. Tem muito mais a ser conhecido, explorado, vivenciado do que o trajeto casa-trabalho-casa. Tem gente incrível em lugares incríveis fazendo coisas incríveis. Primeiro, eu me senti mal. Totalmente por fora, como se eu estivesse longe de ser incrível também. Mas logo depois esse sentimento foi substituído do por motivação. Ok, o que eu posso FAZER pra ser incrível também?

De repente eu senti que eu podia conquistar o mundo =)

Mas eu ainda estava um pouco apreensiva. Era hora de todos se arrumarem e ainda batia aquela pontinha de insegurança…Se meu cosplay ia ficar horroroso do lado de tantos outros maravilhosos.

Aí eu me vesti e…Percebi outra coisa. Meu cosplay não era melhor nem pior do que o de ninguém. Tinha aquele detalhe legal que rendeu elogio. Tinha aquele remendo que muito provavelmente ninguém nem reparou. Assim como a maioria dos outros cosplays. Todo mundo tem aquele detalhe perfeito e criativo e todo mundo tem aquele remendinho, tem aquele grampinho aparecendo, tem aquele acabamento perfeito na armadura, tem a alça do sutiã aparecendo. Sacam? =) Os cosplays perfeitos são assim porque também são imperfeitos. Têm a marquinha de quem fez. E isso é lindo ❤

Nesse momento eu também acho que aprendi mais do que os outros dois dias de workshop. É ali, de perto, que você pergunta qual aquele tecido maravilhoso que deu um efeito lindo. Como foi que a pessoa conseguiu fazer a peça desmontável pra caber na mala. Que material ela usou pra dar aquele acabamento. E de novo, eu percebi que cada cosplay é único, cada cosplayer tem sua genialidade na hora de resolver um quebra cabeça que a fantasia exigiu.

Com as crises internas resolvidas, já decidida a não vender minhas coisas de cosplay assim que chegasse em casa, eu estava lá na fila pro desfile. E quando ia aproximando a minha vez de chegar no palco, ao invés de ficar nervosa (que é o que acontece toda vez que eu vou apresentar ou desfilar), eu só senti uma paz interior. Eu me deixei aproveitar cada segundo dessa paz, me permiti sentir toda a alegria que eu estava sentindo naquele momento. Isso não acontece todo dia. Isso não acontece com todo mundo. Depois de 13 anos fazendo cosplay, olha só onde eu estava!

Na minha vez eu subi, fiz minha pose e saí. Calma, tranquila, feliz.

Queria dar um recado a todos vocês. O Brasil arrasa. Sério, de verdade. Vocês fariam bonito lá, vocês arrasariam. Vocês estariam no mesmo nível da galera que inspira vocês. O cosplay brasileiro é sim um dos melhores do mundo, não se esqueçam disso! =)

Por fim, queria agradecer à Rito por essa oportunidade incrível. Especialmente à dona Lélis, que acreditou e confiou em mim. Eu estou aqui decidida a continuar cosplayando e você com certeza teve sua parcela de responsabilidade nisso, hehehe! ❤ Obrigada também Sarah, Jess, Mel, Jo-Jo, Tawny, Elie, Shanon, e todos os outros rioters que nos acolheram tão bem em Los Angeles. O trabalho de todos vocês foi essencial pra tornar essa viagem tão maneira!

Obrigada também todo mundo que acompanhou o meu relato =) Espero que tenha sido útil de alguma forma. Espero que eu tenha conseguido passar ao menos um pouco do que o Cosplay Lab foi pra mim!

Yay ❤