PERMITA-ME SETEMBRO

Mais um portal se abre no calendário gregoriano. No giro da roda do tempo, SETEMBRO mostra sua face, conjuntamente, com os primeiros raios de sol. Eu SOU APAIXONADA por este mês por infinitas razões. Percebo inebriadaseu perfume, sua temperatura, seus ruídos festivos, sua beleza irradia em canta canto transformando os espaços em recantos… É um mês que transborda energia do Ser e do Estar.

Combinada a toda a sua exuberante beleza, Setembro, comporta a magia do número 7. Soa como se disséssemos ‘Sete-lembro’ e esta forma acorda uma memória primeva de quanto maior a intimidade, mais presente deve estar o sentido do respeito.

Não é porque a árvore esta parada que você pode trepar nela sem que antes peça consentimento, que entre em rios e mares, adentre uma floresta sem pedir licença para a natureza, afinal, assim, como todos os seres vivos, merece respeito e tem vontade própria. Consequentemente, quem não sabe entender esta máxima corre o risco acordar da sua falta de noção com abalos intempestivos de quem exige respeito à sua existência.

Para se ter boa receptividade em todos os lugares e por todas as pessoas apresente-se e peça licença para que haja uma verdadeira integração. Deixe-se conhecer. Peça licença e faça silêncio para ouvir a voz que surgirá com a resposta à sua pergunta. Muitas vezes, a natureza diz: “não, não quero ser invadida, hoje não me sinto bem” e na arrogância que faz apropriar-se do que não é seu, você vai logo invadindo e evidentemente, dando-se mal.

Sensibilidade apurada nos faz conquistar amizades em todas as esferas, de gnomo à Oxalá.

Obs: “O número SETE é com certeza o mais presente em toda filosofia e literatura sagrada desde os tempos imemoriais até os nossos dias. O número SETE é sagrado, perfeito e poderoso, afirmou Pitágoras, matemático e Pai da Numerologia. É também considerado um número mágico. É um número místico por excelência. Indica o processo de passagem do conhecido para o desconhecido. O SETE é uma combinação do TRÊS com o QUATRO; O TRÊS, representado por um triângulo, é o Espírito; o QUATRO, representado por um quadrado, é a Matéria. O SETE podemos dizer que é Espírito na Terra, apoiado nos quatro Elementos, ou a Matéria “iluminada pelo Espírito”. É a Alma servida pela Natureza.

O número QUATRO que simboliza a Terra, associado ao TRÊS, que simboliza o Céu, permite inferir que o SETE representa uma Totalidade em Movimento ou um Dinamismo Total, isto é, a Totalidade do Universo em Movimento.”

Like what you read? Give Mônica Mohr a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.