Minha Experiência de Empatia

Um pouco sobre essa coisa louca que é apoiar

Essa screenshot foi tirada dois dias atrás, quando minha doação completou 100% de uma campanha.

Textos atrás relatei um pouco sobre o início da minha campanha de financiamento coletivo no Catarse. No texto eu apresentava o projeto para publicar o meu primeiro livro e contava sobre como podíamos fazer isso juntos. Caso queira ler sobre esse projeto, por favor, continue a leitura através deste link:

Desde então passaram-se quinze dias nos quais algumas pessoas já realizaram o apoio enquanto outras estão agendadas para fazê-lo assim que o dinheiro entrar nas contas delas. E tudo isso tem sido muito marcante para mim desde a primeira contribuição .

Na campanha, eu não ofereço recompensas valiosas pelas doações. Não tenho posters, adesivos ou brindes do livro para entregar para quem me apoiar. A única coisa que ofereço em troca são textos: bastidores da produção editorial, contos extras do universo do livro, histórias baseadas nas histórias dos apoiadores. Enfim, nada tangível, que se possa tocar ou cheirar. Apenas textos.

Mas, apesar de oferecer uma recompensa tão simples, os apoios vieram. E não vieram pequenos, pois muitos apoiadores tem escolhido a opção de maior valor! Creio que isso não se dê apenas pelas recompensas que, como disse, são simples. Mas acredito que este apoio está mais relacionado com o quanto estas pessoas acreditam no projeto e quanto querem vê-lo completo. Quando lancei minha campanha acreditei que seria muito complicado encontrar pessoas que se identificassem com a minha visão para aquele projeto, mas por incrível que pareça, isso foi o mais fácil! Sinto que cada pessoa ali, que está me ajudando, quer tanto que este livro se concretize quanto eu mesmo quero! Isso me traz uma confiança cada vez maior em publicar este livro e distribuí-lo para todas as pessoas que precisam ouvir essa história.

Se você está lendo isso e é um dos meus apoiadores, aqui vai o meu sincero agradecimento. E se você ainda não apoia, por favor, deixe-me furtar cinco minutinhos do seu dia para explicar o motivo pelo qual este projeto é tão importante e como seu apoio pode ajudar também. Clique na imagem para conhecer A Casa:

Clique no link para conhecer este projeto!

Minha experiência com o Catarse não acaba por aqui. Explorei bastante a plataforma antes de ingressar meu projeto dentro dela e conheci vários projetos interessantes. Entre eles, conheci o projeto da Luísa “Lumanzin”

A Luísa é uma artista audiovisual que foi aprovada em uma residência artística no Banff Center, um centro para realização de projetos artísticos. Com essa oportunidade, ela poderia lançar seu primeiro álbum solo e iniciar sua carreira como música produzida. Mas para que ela pudesse ir para esta residência, ela precisava juntar muito dinheiro. Por isso, ela abriu sua campanha no Catarse e buscou uma meta bem mais desafiadora do que a minha.

Seguindo-a no Catarse e nas redes sociais, conheci seu trabalho e fiquei muito admirado com o talento dela. Decidi apoiá-la logo de cara e torci para que sua campanha completasse a meta. Chegando próximo da ultima semana, ainda faltavam alguns por cento para que ela conseguisse o necessário. Se ela não conseguisse, todo o dinheiro seria retornado e ela perderia a oportunidade da Banff Center! Mas o que aconteceu nessa ultima semana de campanha foi incrível.

O número de apoios cresceu em uma velocidade muito maior do que nas semanas anteriores! Todo dia víamos um, dois, três, quatro por cento a mais na campanha! Eu mesmo fiz questão de contribuir com o último 1% para que mais uma Luísa fosse para o Canadá, para Banff.

Amanha é o ultimo dia oficial da campanha que já alcançou 104% da meta. E a sensação que tenho dentro do meu coração por ter ajudado essa artista a dar seu primeiro passo não tem preço. Acredito que essa é a verdadeira recompensa em apoiar alguém: a empatia. Desde o primeiro apoio, senti como se aquele fosse o meu próprio projeto, e torci por ela como torço para o meu livro. Saber que graças a minha ajuda e de tantas outras um álbum será produzido e uma carreira será lançada é tão gratificante! É uma sensação que desejo que todos possamos sentir um dia, ver algo que você acredita tornando-se realidade graças ao seu apoio.

Enquanto Luísa vai para a Banff Center, eu continuo revisando meu livro e acompanhando minha própria campanha de financiamento. Continuo recebendo e agradecendo por cada apoio novo que surge nessa jornada que hoje começa sua corrida de 100 dias para o fim. Torço para que, assim como Luísa, eu também possa alcançar minha meta e transformar esse livro em realidade. Mas isso só vai acontecer enquanto a empatia for grande, enquanto nós, juntos, construímos esse projeto. Acredito na sociedade e acredito que somos capazes de cultivar a empatia instintiva por aquilo que carregamos em nossa própria ética. Acredito que muitas pessoas ainda irão se identificar com A Casa, seja antes ou depois do financiamento coletivo. E acredito, acima de tudo, em você.


Gostou desse texto? Clique nos aplausos — Eles vão de 1 a 50 — E ajude a divulgar nas redes sociais

Estou com a campanha para publicar o meu primeiro livro, A Casa, aberta no Catarse! Confiram e apoiem este projeto para transformar esse sonho em realidade!

Assumi minha identidade como escritor aos 20 anos de idade, e fazem dois anos que venho escrevendo contos e histórias relacionados ao fantástico, fictício, esotérico e místico.

Possuo alguns contos e poemas postados no blog Pintando o Infinito