Eu sou demais pro seu quintal

Ela não queria estar lá. Não queria levantar cedo, pressionar o botão, ter que colocar a máscara pra pegar a condução que segue sentido ao centro. Desce um, dois, três, e ja não consegue mais acompanhar o embranquecimento sem se emocionar. Faz muito tempo que não ora, mas todo dia chora e o silêncio do lado bom não garante que ele não existe.

Ao chegar ela vê tudo brilhando e os 3% selecionados ja nasceram se gabando. Conheceu esses dias um perfeito que perguntou o que ela fazia antes de saber seu nome. The girl has no name nesse lugar e sua carcaça é tudo que ela pode oferecer. Há muito tempo aqui jaz o cadáver do seu ego e pra não esquecer da sua voz ela grita sempre que encontra o beco certo.

As paredes ao seu redor carregam mensagens, mas só aquelas que não ferem o orgulho do ancião. Viraram paisagem e pouco agem. Estão presas na porta trancada do subconsciente que borbulha em combustão. Instantânea como a fragilidade da decisão que ela pensava ter tomado lá atrás quando aceitou sua missão.

Vai chegar o tempo em que ela vai se libertar e abaixar a cabeça não vai ser mais uma opção. Agrada a todos e se convence do que dizem. Nunca acredite no que as vozes dizem. Elas calaram a sua própria mesmo tendo ela a chama mais quente de toda sua região. A voz mais potente, o fogo mais ardente, nada importa.

Nada encontra no caminho que lhe possa ser útil. Berro, morta, preferia star, mas não tá na de achar, tá mais na de se procurar, ainda mais agora que abriram a jaula do avatar. Só no olhar ja ganhou a maldade nas páginas onde antes pensava só encontrar verdades. Poderia estar melhor. Poderia? Think less and just enjoy. A vida é curta e cada um tem só uma. Ela acredita ter sete mas tem medo de essa ser justamente a última.

(Un)Lost — Kim Salt