Reflexões sobre o cemitério do Medium
Mayara Lobato
21747

Oi Mayara, bom você ter trazido essa reflexão sobre o medium. Comecei a fazer parte desta comunidade há poucos meses depois de ter abandonado o facebook. Uma das coisas que tenho gostado aqui, além de ler textos de muita gente, é que esta comunidade “força” a nossa interação. Percebi que para ter os meus textos lidos, precisava interagir com as pessoas, e muito mais do que apenas recomendar. Gostei muito disso porque nos coloca num processo ativo de interação e de produção literária, bem diferente do facebook que é quase uma vitrine de exposições individualistas, no meu ponto de vista.

Sou psicólogo e amante da literatura e escrita. Tenho escrito basicamente poesias. A minha relação com a literatura não é profissional, é amadora mesmo. Isso me deixa à vontade para usufruir do medium e dos textos com calma, sem criar uma relação de consumo com eles. Por isso, não me apresso em recomendar, selecionar trechos e conversar com alguns escritores. E também não espero pressa com os meus. Mesmo porque sou pai a seis meses e minha filha não tem deixado quase tempo nenhum pra escrever, publicar e comentar (neste momento, ela dormiu e posso escrever pra você…rsrsrs).

Fico satisfeito por ter usufruído desse tempo para responder ao seu texto. Sei que poderia ter lido várias publicações ao invés de te responder, mas, isso me deixa mais contente e próximo de fazer parte de uma comunidade. Obrigado por seu texto ter nos possibilitado essa interação. Abs!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.