Mas e o amanhã?

Um dia desses naquela correria cotidiana adentrei o metrô, me sentei próximo a janela e comecei a pensar na vida. Passados alguns minutos, uma senhora senta-se ao meu lado e me pergunta. ‘’Mas e o amanhã?’’ Eu um pouco atordoado questiono se a pergunta é para mim. Ela diz que sim. Gaguejo um pouco e respondo que o meu amanhã será parecido com meu dia de hoje. Sem muitas novidades. ‘’Por quê?’’ ela me indaga. Dessa vez digo que a rotina já tem um roteiro definido, mas com outras palavras que não me recordo no momento.

Suavemente ela me olha e diz: o seu amanhã pra ser especial só depende de você. Não deixe a tristeza tomar conta.

Ela levanta rapidamente e desce na Penha, linha vermelha. Me dá um tchau pela janela e eu ali, parado, sem entender o que havia acabado de acontecer começo a pensar no amanhã. Mas hein, e o amanhã?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.