Deixar ventar

Photo by Maxime Amoudruz on Unsplash

Às vezes, é preciso arrombar a porta que dá para dentro da gente. Subir as escadas correndo. Abrir as janelas. Deixar ventar.

Descobrir que temos cheiro de bolo quente com café. Ou de chá de hortelã. Ou de manjericão fresco. Descobrir o melhor lugar para pendurar a rede e deitar ali no conforto do próprio corpo. Descobrir de que lado nasce o sol e estender ali as roupas, agora lavadas. Deixar as dores serem líquidas para que escorram pelo chão e sequem, no fim de um dia quente.

É para derrubar paredes e rasgar vãos insensatos. Arrancar as cortinas. Descobrir as vigas e onde range o piso. Bater o tapete. Ver a poeira dançar antes que ela baixe. Varrer para fora as cinzas de si.


aqui no medium você mostra o quanto gostou do texto através de palmas, que vão de 1 a 50. demonstre seu amor ❤


esse texto faz parte do projeto Desvios de Afeto: uma coleção de textos sobre os fins do amor. aqui você acompanha pelo instagram (segue lá? ❤)