O peso de ser um casal foda

“Mas vocês eram um casal tão foda”.

Éramos mesmo. Éramos um casal foda. Nossa história, nossos hábitos, nossa casa. Os programas que escolhíamos para fazer, os drinks que escolhíamos para beber, os destinos que escolhíamos para ir, os quadros que escolhíamos para nossas paredes. Tudo era legal demais no nosso mundo. Nossas roupas, nossas tatuagens, nosso papo de bar, nossos amigos. Toda uma vida com ares de sitcom americano moderninho. Éramos um roteiro sem muito drama, com muitas cool girls e garotos adoravelmente nerds que se encontravam para formar um equilíbrio perfeito entre o mainstream e o indie.

Ser o casal foda do nosso círculo era assumir um cargo social que não escolhemos ter. Mas, ah, nós exercíamos a função com maestria. “Conheço um casal que deu certo”, as pessoas adoram dizer. E nós éramos o que elas precisavam: o casal modelo, o casal bem resolvido, o casal que se entende. Dávamos nossos conselhos, usávamos a nós mesmos como exemplo e ouvíamos, com o peito estufado, que tínhamos muita sorte de ter encontrado um ao outro.

O que vem acompanhado com ser o casal foda é uma série de clichês tão ridículos que nós, tão especialmente azeitados para viver o cargo imposto, custamos a acreditar. Não dava pra acreditar que preferíamos transar com outras pessoas, não dava pra acreditar que eu não queria ouvir suas opiniões, não dava pra acreditar que você preferia dormir sozinho. Não dava pra acreditar que minha companhia te cansava, não dava pra acreditar que secretamente eu rezava pra que você fosse embora.

“Acho foda como vocês nunca brigam”. E a gente brigava sim. Não para resolver pequenezas ou ajustar a relação. A gente brigava para achar de quem tinha sido a culpa. Como poderíamos estar tão infelizes? A culpa foi minha, depois a culpa foi sua e ela foi se tornando a nossa batata quente. Eu não queria ser responsável pelo nosso fim, você muito menos. Como iríamos explicar que não demos certo? Como explicar que nossa relação doía? Não explicávamos. Era bom sair e ser os personagens que criamos para viver juntos, era bom ver tudo o que poderíamos ser, tudo o que poderíamos ter sido.

E a verdade é que quase aceitamos, quase fomos. Éramos o casal foda que todo mundo queria ser, menos a gente.

Esse não é um texto autobiográfico, apesar de ser em 1a pessoa. Esse texto é uma colagem dos tantos casais fodas que eu conheci e que deixaram de ser os casais que todo mundo queria que eles fossem — para ser a melhor versão deles mesmos.

Escrevo aqui sobre comida e aqui mesmo sobre a vida. Edito aqui, me segue no Instagram aqui.