Enquanto os países mais afetados pelo Covid-19 adotam medidas de auxílio aos trabalhadores e proteção às economias locais, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ataca os direitos da classe trabalhadora com a Medida Provisória 927.

.

Editada na noite deste domingo (22), a MP que dispõe sobre as ‘‘alternativas’’ trabalhistas que poderão ser adotadas pelos empregadores durante o estado de calamidade pública do coronavírus, comprometem diretamente a renda e a dignidade dos assalariados de carteira assinada do país.

.

Entre as medidas, constam a suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho, suspensão da exigibilidade do recolhimento do FGTS pelos empregadores, referente a março, abril e maio de 2020. …


Estamos todas/os em alerta com a pandemia mundial do Covid-19, o coronavírus, que além de afetar a saúde pública também impacta na economia: oscilações nas bolsas, cancelamento de eventos e interrupção de alguns setores comerciais, superfaturação de suprimentos básicos como produtos de higiene e limpeza.

Quando o capital entra em crise, quem mais sofre é a classe trabalhadora, e a pandemia do Covid-19 é um belo exemplo de como a desigualdade social atua. Sabemos que, quem ‘‘trouxe’’ o vírus não foram os mais pobres, mas, é essa a camada que está exposta às condições mais vulneráveis de contrair a doença, e por isso todo cuidado é pouco.😷
.
Circulam nas mídias em geral uma série de medidas para impedir a proliferação, como evitar aglomerações, higienizar as mãos/utensílios e se possível, não sair de casa. Mas, nas condições atuais de renda e emprego: quem pega transporte coletivo lotado diariamente? Quem trabalha em locais de alta circulação de pessoas? Quem não tem vínculo empregatício e não tem reserva de emergência?

❗Existe um projeto genocida em curso, que está para além do corona, mas que esse fato só vem a reforçar.

Enquanto uns tem o privilégio de ficar de quarentena na mansão, mantendo a empregada doméstica trabalhando, outros não possuem renda para as próximas semanas. Precisamos tratar desse assunto com a seriedade que ele exige.

Desde que iniciamos nosso trabalho com a Educação Financeira alertamos para a importância da RESERVA DE EMERGÊNCIA, que em casos como esse, garantiria tranquilidade mínima para o trabalhador informal, por exemplo, se resguardar em casa até o pico da pandemia passar. Por isso compartilhamos conhecimento sobre economia e finanças.

Tomemos todas as medidas que estiverem ao nosso alcance, cuidando da imunidade, dando atenção especial aos nossos mais velhos e às crianças e cobrando do Estado Brasileiro medidas que de fato protejam os mais pobres. …


Texto: Natali Yamas e Gabriela Chaves

A interface racismo-economia é fundamental para compreensão das relações sociais no Brasil, e nesse 20 de novembro, dia instituído como o da Consciência Negra, queremos reforçar a discussão de alguns pontos sobre esse assunto, incômodos que inclusive motivaram o surgimento da NoFront. Estamos falando de um país estruturado no racismo, construído sob julgo de uma colonização escravagista que perdurou por quase quatro séculos, que se fundou na exploração de uma raça sobre outras criando as bases para as desigualdades que conhecemos hoje.

Apesar de ser maioria quantitativa, a população negra aparece sempre em condições de desvantagem com relação à branca nos indicadores sociais, sobretudo em categorias como escolaridade, moradia, saúde e mercado de trabalho fica evidente a herança histórica de hierarquia social que demarca qual o lugar de cada grupo racial dentro da sociedade brasileira. …

About

Nofront Empoderamento

Somos uma plataforma de educação financeira que têm por objetivo democratizar a economia através da educação