Outra agência nascendo. Por quê?

Porque a gente cansou, sabe? A gente cansou de esperar o job dos sonhos. De repetir os mesmos termos só para deixar o discurso mais convincente. De continuar fingindo que estávamos fazendo um grande trabalho. De não saber direito para onde estávamos indo. De ter que se esforçar constantemente para relembrar o porque começamos.

Se você é um profissional de comunicação sabe muito bem do que estamos falando. Se você é cliente de uma agência também. Essa pulga que insiste em pular atrás das orelhas de quem tem um olhar crítico sobre o mercado representa um sentimento muito comum em relação ao que nós, como agentes de comunicação, estamos entregando. Esse desconforto é um sinal de que algo está errado ou precisa ser mudado.

Em mundo pautado por mudanças tão frequentes quanto rápidas, não é tarefa fácil diagnosticar o que precisamos mudar. Mal uma prática se estabelece e já torna-se vítima do dinamismo ininterrupto que a internet nos apresentou. Por isso é preciso refletir em cada ação, em cada decisão a ser tomada. Afinal, o que é bom hoje pode não ser amanhã. Simples assim.

“Refletir a cada ação”. Taí a primeira coisa que precisamos mudar. Trazer de volta o hábito de tratar cada trabalho como único. Compreender o que é preciso ser feito, criar soluções estratégicas, minimizar erros e investir inteligentemente. Parece fácil. Parece inclusive que você já leu isso em algum lugar. Claro, até porque tudo isso está em todos os manuais de negócio, em muitos artigos sobre empreendedorismo e nas opiniões dos grandes profissionais de comunicação. Porém, não é isso que vemos acontecer quando vamos para o mundo real, onde pequenas e médias agências não dão o devido valor à reflexão e acabam por sacrificar talentos, tempo e dinheiro em círculo vicioso de briefing-entrega-alteração.

“As famosas alterações roubam energia de ambos os lados e acabam por distanciar as peças do briefing.”

O cliente também sente os efeitos dessa automatização. É difícil enxergar o valor do que é entregue. Gasta-se linhas e mais linhas de e-mails na tentativa de alinhar o trabalho da agência com a sua expectativa. As famosas alterações roubam energia de ambos os lados e acabam por distanciar as peças do briefing. O desgaste é tão grande que tanto a agência quanto o cliente sentem-se pressionados em conseguir chegar logo em um resultado minimamente “aceitável”. Mas o “aceitável” é muito pouco para quem busca as melhores ideias.

Por isso, repetir o que parece óbvio pode nos ajudar a enxergar o que nossa rotina não nos deixa ver. “Refletir a cada ação”. É nisso que a gente acredita. É por isso que começamos. “Refletir a cada ação”. Um mantra que inaugura a nossa vida como agência. Que irá nos guiar pelo que caminho que começamos a trilhar.

Foi assim que decidimos começar a falar com vocês: refletindo. E tendo como desafio nunca esquecer de fazê-lo. Pois é só assim que conseguiremos nos reinventar, reinventar nossas ideias — e por quê não — nossos clientes.

Você está convidado a acompanhar o nosso Medium. Aqui não vamos fazer propaganda. Ao invés disso, vamos colocar em pauta assuntos que precisam ser discutidos pelos profissionais de comunicação, tecnologia e marketing. Especialistas em comunicação que somos, sabemos que o primeiro passo é sempre dialogar.

Muito prazer, nós somos a Noon, uma agência digital.

Like what you read? Give Noon a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.