Acorda vai perder a festa!

Um funeral essa festa de aniversário

Tem chocolate mais quente que o inferno

Mais saboroso que a dor.

Grandes e belas cerejas de sangue

Mais gélidas que a morte são exício

Flutuam elas preenchidas sangrando ferro, níquel e cádmio

Decorando o chocolate com o óbito

O abismo despencou a barragem desmoronou

E então maldição virou

Setecentas crianças o doce amargou.

A cascata de chocolate atrai olhares

Uma pena! Pequenas vontades

Muitos estão de dieta, grande subversão

Apenas a avó de Mariana tentou limpar o chão.

A calda no oceano chegou lavando e abarrotando vidas,

Lívidos olharam ,desejaram, uns se levantaram, comeram e ajudaram

Ali nada cessou, nem tudo foi limpou para a pequena mariana.

Grande festa safardana

Xila marrom estava à terra marcada de destruição

Incômoda foi feita lambança

A avó adquiriu uma infecção, mas não experimentou o privilégio: Saúde.

Não teve tempo para de a Hepatite cuidar

Ou momento para da cólera tratar.

Pois mariana tinha que matar: dois anos ela não pode completar.