Brigada Subjugante: Perfil Malthas Ervazul

Nome: Malthas Ervazul
Raça: Elfo
Classe: Mago (Bruxo) 6
Função: Controle/Striker (Arcano)
Jogador: Henrique Siqueira

Um elfo tão excêntrico quanto misterioso, Malthas viva em Lenórienn antes da Tormenta chegar, e era apenas um jovem que vivia com sua família num vilarejo distante dos frontes de guerra. Seus pais eram arcanos, e seu irmão Fyrnei Ervazul era batedor do exército élfico. Certo dia seu irmão apareceu gravemente ferido e para ajuda-lo, Malthas clamou a Glórienn que o fizesse resistir aos ferimentos tempo suficiente para que a ajuda chegasse, mas suas preces não foram atendidas… Logo após a morte de seu irmão, Malthas se voltou para as artes arcanas e começou a aprender os segredos da magia, se tornando um tanto quanto obcecado e insistindo cada vez mais para que seus pais o ensinassem novos truques.

Passado um tempo, Malthas ficou entediado com seus níveis de poderes arcanos e almejava níveis ainda maiores, até que conheceu um curandeiro chamado Tyrinn, que vivia em isolamento em uma floresta. Foi por acaso que seus caminhos se esbarraram e Tyrinn acabou tomando gosto pelo jovem Malthas… Frequentando a casa de Tyrinn o jovem se tornava cada vez mais ansioso em aprender seus sortilégios, porque diferente de seus pais Tyrinn não o ensinava com livros, mas ensinava com prática!

Logo esta alegria viria a acabar.

Quando o exército goblinóide finalmente mostrou seu verdadeiro poderio, Tyrinn precisou se sacrificar para que o vilarejo de Hilnaan não fosse completamente dizimado, provendo tempo inclusive para que Malthas e sua família tivessem tempo suficiente para fugir às pressas. Por sorte ficaram sabendo que um dos generais do exército Élfico fugiria para a terra dos minotauros e então enviaram Malthas a ele para que fosse levado e cuidado… Após ver o grande potencial que o rapaz mostrava, o general Malfyndoriel aceitou levar o rapaz com uma condição: que abandonasse totalmente a deusa dos elfos e sua terra natal. Malthas já descrente graças à morte de seu irmão na juventude, não teve o menor problema em largar Glórienn.

Depois de se mudar, Malthas não perdeu seu interesse nas artes místicas, e expandiu seu tempo de aprendizado com Tyrinn adequando esse poder em combate de forma extremamente eficiente, até que foi presenteado por Malfyndoriel com um anel, feito de ossos de pequenos animais que formavam um crânio, e este lhe disse: “Um dia você vai aprender uma técnica que permite a você canalizar energias arcanas neste artefato que lhe entrego, e com essa habilidade poderá dizimar seus inimigos, assim como eu um dia dizimarei aqueles vermes que destruíram nossa terra natal.”

Um pouco intimidado, mas determinado a compreender o poder que lhe fora oferecido, Malthas fez uma viagem que lhe permitiu conhecer um novo tipo de magia. Dos pântanos da Pondsmânia, ele aprendeu a cegar seus inimigos e fazê-los ver o que ele queria que eles vissem, ouvir o que mais temiam e fazer a sua vontade, também aprendeu a fabricar poções simples e itens alquímicos para sobreviver sem depender de Malfyndoriel. Agora aos seus 432 anos, Malthas busca aliados por toda Arton, mais especificamente elfos, para se juntarem à empreitada de Malfyndoriel e recuperar as terras de seu povo.

Em suas andanças conheceu um grupo de aventureiros e decidiu se fixar por um tempo maior à seu líder, o jovem humano por nome de William Tatcher, como suporte à sua missão maior. Nunca esqueceu seu intento de auxiliar o antigo general em sua guerra, e sempre faz o possível para apressar este momento. Atualmente reside em Valkaria com a nova formação do grupo que veio a se chamar Brigada Subjugante, fazendo contatos na metrópole, aumentando seus poderes e arregimentando aliados.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.