Sabe contar uma história?

Em suma, a gente sempre começa pelo mais interessante pra depois dar início à história bem explicada. Nós fazemos propaganda da nossa própria história. Lançamos spoilers disfarçados em cochichos, aprontamos tudo para contarmos com os recursos que quisermos, as nossas tão breves histórias que têm apenas seus 5 segundos de glória.

Partimos do principal porque assim nos foi ensinado. Primeiro vá ao que interessa e depois dê rodeios, afinal, de que outra maneira você despertaria o interesse alheio na sua história, senão pelo ponto mais interessante?

Instigue a curiosidade, e trate até mesmo o assunto mais banal como se fosse uma grande novidade. Tudo, na verdade, está na maneira como você conta. E qualquer um pode ser um excelente contador de histórias, basta se permitir o mistério.

Tudo tem mistério, até mesmo a comédia mais esperada do ano. O mistério já começa do seu cartaz, do seu trailer. Os pontos-chaves são mostrados para despertar a curiosidade, e então o filme começa a explicar aquelas cenas que te fizeram vê-lo.

Se você precisa contar algo de um jeito envolvente, comece pelo ponto alto, mas não entregue tudo. Jogue sua frase para ver a reação que causa no ouvinte, se for boa, então desenrole desde o início. Se for ruim, tente dar uma entonação diferente, geralmente ela é responsável pela aceitação.

E se a entonação também não resolver, aceite que sua história pode ser interessante apenas para você. Isso não é ruim, você também pode tentar mudar de ouvinte. Você sabe, não adianta ter uma boa mensagem se o público estiver errado.

No fim, é tudo uma questão de marketing.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.