mais uma alforria

a triste e necessária derrocada da globo e das mídias televisivas obsoletas já não é mais uma novidade.

estamos vendo o princípio do fim da quimera midiática que tomou conta da cabeça do povo brasileiro e governou sorrateriamente uma nação inteira durante décadas.

é bom saber que estamos prontos pra essa mudança e que ela virá a calhar para o bem da democracia e do devir de cada cidadão.

a revolução não precisará mais ser televisionada,
pois não cabe mais na tela de uma TV a verdade que nos espera.

a internet — ainda que já vigente nos tempos de hoje como a maior ferramenta de comunicação do mundo — virá como novo paradigma de reflexão da massa, pois esta, ainda dispõe apenas das limitadas polegadas de cores esbravejando suas verdades condicionadas, para fabricar seus parâmetros de comportamento.

só devemos ficar atentos a terra sem lei que estamos adentrando,
pois sempre teremos novos ícones, mas os cânones vão persistir.
ou seja, o nível de complexidade de informação aumentará e poderá acontecer um revolução linguística massiva. o que nos leva a fazer uma coerente comparação com um dos princípios básicos da biologia, que afirma ser o organismo simples o mais forte e adaptável as circunstâncias vitais do mundo, e não o mais complexo.

exemplo:

um virús (organismo unicelular) pode exterminar a raça humana (organismo pluricelular), porém o homem nunca será capaz de exterminar o vírus da face da terra.

logo, a internet será superpovoada por razões, ideologias e discursos incontáveis e aleatórios, o que pode nos levar ao "esvaziamento do conceito de comunicação". assim sendo, consumaremos a já banal ideia de sermos donos de nossas próprias narrativas e nos tornar apenas seres vivendo um monólogo coletivo cibernético. uma amalgama de egos em extrema ebulição.

trocando em miúdos, deixaremos de ser um agrupamento ingênuo de humanos (massa de manobra) e nos tornaremos um amontoado de vírus individuais (massa crítica).

que estejamos prontos pro desabafo em massa de uma nação engasgada, pois a ficção de viver cada um a sua história será posta à prova.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Oriundo’s story.