Tenho um temperamento bem explosivo, e sou bem brava. Já viu que trata-se de uma combinação bem inflamável!

Por outro lado esses picos de energia são pontuais e efêmeros, o que permite que num curto espaço de tempo, entre o fato gerador e a reação, a minha razão volte a comandar a situação.

Outro ponto é que com o passar dos anos, “por mal”, aprendi a aumentar o fio do pavio. Afinal, quem sempre perde é quem perde a cabeça.

Resumindo, aprendi a me controlar mais, antes de permitir que aquela descarga irracional de explosividade me domine.

Vale ressaltar que ainda tenho muito a internalizar e não estou nem perto da paciência que gostaria de ter.

Prestadas as devidas explicações, meu desabafo é mais pontual, é para aquele momento que citei acima, de conseguir recuperar rapidamente a racionalidade.

Quando a razão fala mais alto, a mágoa e a raiva, dão lugar a busca pela solução do problema.

Só que as pessoas, em sua maioria, e falo isso por experiências diversas, levam muito tempo pra sair do emocional. Elas se apegam a mágoa, a raiva, a tristeza, a decepção, ao orgulho, enfim, a toda gama de sentimentos ruins advindos de uma situação de stress, e não conseguem ser pragmáticas.

Sabe aquela frase: vc quer ter razão ou ser feliz?

Busco escolher a parte de ser feliz, mas talvez queira isso muito mais rápido que a maioria, e como, com raras exceções, não sou acompanhada pelo outro, a frustração me invade.

Nesse momento me bate outra boa frase: amanhã, esse fato vai fazer diferença na sua vida?

Em regra, os problemas são gerados por situações tolas, e de fato, amanhã tudo será insignificante.

Dai eu penso: Pq a pessoa não larga o osso? Especialmente nos relacionamentos. Você fala: vamos resolve isso? E parece que vc tá ofendendo o outro, Pq a reação piora!

Tudo isso é frustrante demais, e a repetição de situações como essas vai desgastando as relações. Vão distanciando as pessoas e num dia qualquer você percebe que está diante de um estranho!

Vamos usar a nossa inteligência a nosso favor, não somente na parte profissional, mas também em nossas vidas afetivas, seja com familiares, amigos ou amores. Lembrem-se, o que mais queremos é ser feliz, e querer ficar “por cima” das situações te levará apenas para um local: solidão.