Filhos frustrados, filhos felizes!

Filho merece ganhar tudo e não participar dos assuntos de família? Não!

Minha mãe e meu pai trabalharam muito para dar o melhor pra mim, mas eu não me lembro de tê-los visto sentados discutindo as finanças e projetos do casal, tampouco me explicaram como tudo acontecia ao meu redor. Resultado: Demorei anos para sentir na pele que as coisas não caem do céu.

Que mãe e pai não deseja dar o melhor para o filho?

Conheço pais e mães que trabalham em vários empregos para pagarem inglês, futebol, escola, celulares… Só cobram o rendimento do filho nesses compromissos, mas não a(pagam) a luz do quarto do filho, depois de conversarem um pouco sobre a rotina estressante de ambos e renovarem seus votos de amor eterno.

Nos últimos anos, os casais se fragmentam com muito mais rapidez por motivos fúteis como ciúmes bobos, falta de tempo de convivência ou até mesmo, falta de tempo de conhecimento no namoro.

A consequência da separação desses casais são filhos que não veem o relacionamento como alicerce para a própria ascensão, pelo contrário, os pais separados são mais generosos, pagam presentes, Mac, dão dinheiro a qualquer hora.

Nossa geração, a minha, a sua geração, é o oposto das dos nossos pais — Somos mais egoístas, preguiçosos e medrosos!

Dúvida? Quantas pessoas você conhece que trocou um marido ou um filho pra morar com um pet num apartamento com segurança 24 horas e pede a maioria das coisas pela internet?

É fato! É assim criamos as nossas crianças para repetirem os mesmos comportamentos! Achamos que elas não merecem sofrer, assim como nós no trabalho, na comunidade ou em casa.

A geração Y, como são chamados nossos filhos, dominam qualquer tecnologia, são habilidosos, mas não dominam suas emoções, não são treinados a dar valor ao esforço e a culpa disso tudo é minha e sua!

O resultado são adolescentes e jovens de 30 anos que não conseguem promoções em seus empregos por falta de persistência e paciência; são jovens que só buscam o prazer nos relacionamentos, magoam as pessoas e, cada vez mais aumentam os números de casos de depressivos, carentes, dependentes de drogas.

Se você quer agradar seu filho numa data não tão importante, deixe ele fazer por merecer, e somente se ele fizer exatamente o que você quer, o agrade. Dê presentinhos aos pequenos, bombom, gibi, flor; aos maiores — pague o cinema, pague o teatro, dê um batom, dê uma camiseta básica.

De preferência, faça os presentes com suas próprias mãos — quanto tempo leva pra fazer um bolo, uma pipa, um risco de amarelinha no chão pra brincarem juntos?

Se hoje você dá um X-Box porque o viu no fim de semana, o que você dará quando ele tiver 30 anos?

Filho deve ser frustrado sim! Nada cai do céu! E é o trabalho e persistência que vão garantir que seu filho dê valor verdadeiramente ao que ele chama — Felicidade!

Lembre-se — Eu e você somos os exemplos para isso acontecer!

A dica do filme de hoje é — Gonzaga, de pai para filho. A vida de um sertanejo que virou o rei do baião, mas teve que deixar o filho para garantir o sucesso. Assim como o pai, Gonzaguinha sofreu muito na infância, mas se tornou um dos grandes nomes da música nacional. Um dos poucos filmes nacionais que assisti que me emocionou.

Gratidão a todos!