Explosão de amor

Olha só isso
mesmo tanto tempo depois
já distantes e separados
algo em mim insiste em voltar.

O que faço com todo esse amor?
Antes pertencia só à ti;
hoje não é de ninguém.
Já faz tanto tempo
que isso me transborda
que me sufoca
que me pede para sair.
Eu consigo escutar :
“Deixe-me sair.”
Eu o sinto lá dentro,
remoendo-me por inteiro.
Apenas esperando.
Esperando.
Esperando.

A espera é terrível
angustiante; assoladora.
Eu sinto meu amor
pronto para explodir
com qualquer faísca.
Uma troca de olhares ou
Uma troca de mensagens.

É o suficiente para ativar o pavio
que sinto queimar.
Queima rápido demais e eu
não consigo controlar.
Então subitamente me afasto
sem pensar em ficar.
Vou pra casa, fico em meu quarto
faço o pavio apagar.
Fico em casa, sozinho, rezando
para o pesadelo não voltar.

Por quanto tempo serei assim?
Com medo de explodir e me entregar.
Por quanto tempo irei fugir de mim?

Eu como poeta deveria saber
que nesse mundo de dor
nós morremos normal ou
explodimos de amor.

Porque se segurar?
que eu exploda de uma vez
para meus amigos já peço desculpas
porque após eu explodir, não vão mais me reconhecer.