Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante…

As vezes, precisamos abandonar a vida que havíamos planejado porque já não somos mais a pessoa que fez aqueles planos.

Ontem eu me bastava. Hoje, eu não sei onde eu estava.
Ontem eu sabia exatamente para onde ia. Hoje, eu não sei onde está a guia.
Ontem eu estava sozinha e adorando. Hoje, eu estou me apaixonando…
Ontem eu tinha tantas certezas… Hoje, só me restam dúvidas e mais perguntas.

Como pessoa hiperativa que me tornei, eu preciso do movimento.

A minha zona de conforto é a mudança.

Mudança.
Adaptação.
Resiliência.

Nos discursos, tão em voga, tão na moda…
Nas atitudes, tanta insegurança e tanta resistência…

Se hoje for o último dia de minha vida, eu gostaria de fazer o que vou fazer hoje? E se a resposta for ‘não’ por muitos dias seguidos, sabia que precisava mudar algo…” - Steve Jobs

Mudar.
Se adaptar.
Evoluir.
Se transformar.
Do casulo, sair.
E voar.

Muda, que quando a gente muda, o mundo muda com a gente.
A gente muda o mundo na mudança da mente.
E quando a gente muda, a gente anda pra frente.
E quando a gente manda, ninguém manda na gente.
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura.
Na mudança de Postura a gente fica mais seguro.
Na mudança do presente, a gente molda o futuro.

E saber que há para onde voltar.
Ser consciente quando for necessário pousar e se recuperar…
E recomeçar.

Eu quero ficar perto de tudo o que acho certo. Até o dia em que eu mudar de opinião…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.