Discordância #01 — DEVER FAVORES.

“Se dependes de favor, então você está sozinho.”
No mundo cooperativo se instaura uma lei subjetiva, uma conduta implícita, quase um blefe, onde se quer ter vantagens e manipular usando favores.

A situação é rotineira, eu te dou um desconto no meu produto, com a condição de você me gerar demanda em outras questões.

Trabalhamos com possibilidades, sem certezas, em um país que hoje é bom e amanhã não é mais. E estamos sempre no limite, esperando que os gráficos mudem, que o dia termine bem, que o final de semana sirva para relaxar, que a ajuda que te dou hoje, você me devolva amanha.

É quase uma herança da máfia italiana, com a diferença de que com a máfia, ninguém ousaria negar um favor.

Mas em hoje é diferente, estamos naquele mundo voltado ao individualismo, então, não ligo para a sua prostituição empresarial na esperança de uma vida melhor, esse é o jogo.

Para mim, ênfase nessas duas palavras que iniciaram este parágrafo, é jogar seu profissionalismo fora.

Se você tem um produto ou serviço bom, não há razão para fazer as vontades de um cliente, para agradar. Se seu produto for realmente bom, não importa o preço, ele voltará atrás de você.

Essa ideia de esperar o retorno de favores, é o que deixa a política brasileira no estado que está, é o que nos separa de uma potencia mundial, a desvalorização da honra, da capacidade, do trabalho, do esforço.

Muito escuto de pessoas que querem cooperar e valorizar o trabalho cooperativado, formando associações. Mas quando tem a chance de pagar o valor que um prestador de serviço solicita, acha caro e “chora” um desconto. Onde está sua filosofia social agora? E quem é você para subjugar o valor do trabalho alheio?

O conselho que dou para todos os prestadores de serviço é para que não rebaixem seus trabalhos, pois o tempo que você usa é só seu e dinheiro nenhum vai trazer ele de volta, então, valorize seu tempo, seu trabalho, sua vida.
Quanto vale sua hora? Cobre isso e não menos.
Se todos agirem assim, o piso sobe e todos ganham.

Não dependa da boa vontade de alguém. Não menospreze seu trabalho trocando ele por favores, não crie esperanças de ser contratado sem ter capacidade, você é sua capacidade e sem ela, não há favor que irá te tirar da mediocridade. Lembre que todos esperam ganhar dinheiro, até quem te contrata, se você não for capaz de render o investimento, do que adianta ser favorecido por favores sem ter um bom resultado, você está pulando em um rio cheio de piranhas.

Seja Capaz, seja Profissional, seja o preço que você vale.
Like what you read? Give João Petrazzini a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.