Piratas da Internet, Uni-vos!

Notícias de um jornal no futuro: “Um homem foi parado ontem na fronteira da Itália com a França, seu computador foi analisado e material pirata foi encontrado, a maioria softwares da Adobe e músicas dos Beatles. O homem foi preso em flagrante”

De um poema a uma droga, de um software a uma música e de um filme a um livro, tudo que é famoso e lucrativo se torna valioso economicamente graças à manipulação das Multidões. As pessoas não pedem para saber com o que o novo logotipo da Coca-Cola se parece, nem sobre a melodia de “Like a Virgin”. Educação, Mídia e Propaganda ensinam tudo isso da maneira mais dura; seja martelando nossos cérebros ou especulando sobre nossa sede, nossa fome, nossa necessidade de se comunicar e se divertir — e, mais que tudo, nossa solidão e desespero. Nesses dias de Internet, o que pode ser copiado também pode ser compartilhado. Quando se trata de conteúdo, nós podemos dar tudo a todos ao mesmo tempo.

Ao redor disso uma nova classe social está despertando. Não uma classe de trabalhadores, mas uma classe de Produtores. Produtores são piratas e hackers por padrão; eles reciclam as imagens, os sons e os conceitos do Mundo. Algumas partes eles inventam, mas a maior parte é emprestada dos outros.

Porque a informação ocupa uma parte física dos nossos corpos, porque ela está literalmente “instalada” no nosso cérebro e não pode ser apagada apenas pela vontade — as pessoas têm o direito de possuir o que é projetado sobre elas; Elas têm o direito de ser donas de si mesmas! Porque esse é um Mundo globalizado baseado em desigualdade e lucro, porque o conteúdo de uma música, de um filme ou de um livro são pontos de vantagem numa luta feroz pela sobrevivência — qualquer cidadão global tem o direito moral de se apropriar de uma cópia digital de uma música, de um filme ou de um livro. Porque software é uma linguagem internacional, os segredos do Mundo agora são escritos em Adobe e Microsoft: nós devemos tentar hackeá-los. Por fim, porque a pobreza é o campo de experimentação de toda medicina global — nenhuma patente deve ser aplicada.

Hoje, toda pessoa com um computador é um Produtor e um Pirata. Todos vivemos na Internet, esse é o nosso novo país, o único território que faz sentido defender e proteger. A terra da Internet é a informação. As pessoas devem ser capazes de usar essa terra livremente, enquanto as corporações devem pagar para usá-la — uma empresa definitivamente não é uma pessoa.

A Internet agora está produzindo “Internets”, situações que existem não apenas online mas também no mundo real, governadas pelo que está acontecendo online. Esse é o momento para fundarmos um Movimento Global da Pirataria. A liberdade de infringir o copyright, a liberdade de compartilhar informação e drogas: esses são os nossos novos “Commons”. Eles são Direitos Universais e, como tal, as Autoridades não vão permiti-los sem uma batalha. Mas essa será uma batalha diferente porque pela primeira vez as Multidões estão desrespeitando a Lei instintivamente e no Mundo inteiro.

Hoje, um exército de adolescentes está pirateando, os adultos estão pirateando e até mesmo os idosos, pessoas da Esquerda e da Direita, estão pirateando. Todos com um computador estão pirateando alguma coisa; como um romance da Deusa Atena, a Informação quer se libertar da cabeça da Tecnologia e isso ajudará na nossa empreitada.

Piratas da Internet, Uni-vos!

Milton Manetas, 2009