#Rio2016: A Olimpíada das Mulheres

Com as Olimpíadas e nosso hiato (COINCIDÊNCIA?) chegando ao fim, não podíamos deixar de comentar o evento histórico que foi a #Rio2016. Não só por ser no nosso país ou por apresentar o melhor desempenho esportivo da história do Brasil, mas porque foi uma Olimpíada em que as mulheres BRILHARAM dentro e fora das quadras (e tatames e piscinas e campo etc).

Teremos alguns comentários ao vivo no nosso próximo episódio, mas enquanto isso, fique com nossa listinha dos melhores momentos da #Rio2016 pra mostrar que o Pop Don’t Preach é mais que cultura pop e que esporte é MUITO mais que futebol masculino.

Começamos bem, com a Lea T à frente da delegação brasileira na abertura dos jogos
Yusra Mardini, a refugiada síria que nadou para salvar a vida de 20 pessoas durante sua travessia pelo Mar Egeu, e competiu na #Rio2016
No cartaz: “Taurasi, eu jogo basquete por causa de você! Por favor, uma foto com você!!!”. A norte americana Diana Taurasi é 4 vezes medalha de ouro olímpico. #RepresentatividadeImporta
A manifestante Darya Safai, protestando durante o jogo de vôlei masculino entre Egito e Irã, pedindo que as mulheres iranianas possam entrar nos estádios do país — onde vigora uma lei que impõe restrições à entrada de mulheres em jogos masculinos.

Não está sendo fácil

Como nem tudo são flores e medalhas, a groselha machista também deu suas caras:

E por fim, nossa eterna admiração pelas seleções femininas do Brasil — e uma promessa a esse apelo:

Não vamos desistir ou esquecer!

Acompanhe o esporte feminino no Brasil e no mundo com alguns sites e perfis:

ESPN W. — divisão da ESPN voltada aos esportes femininos

Dibradoras

Mulheres na Gestão do Esporte

Olga Esporte Clube

Donas da Bola

Liga de Basquete Feminino

Confederação Brasileira de Handebol

Superliga Feminina de Vôlei

Gênero e Número