Design, educação e a vida aparelhada

Quantos cliques de imagem você já deu hoje em seu celular? Seu aparelho multifuncional smartphone tem sido mais câmera fotográfica do que telefone nos últimos tempos?

Por Priscila Gonsales e Roberta Dabdab*

Já está tão no automático que quase nem paramos para pensar em como fotografamos pessoas e objetos a todo instante e subimos essas imagens nas diversas redes sociais on-line. Outro dia, em uma oficina de Design Thinking para Educadores, ouvimos de uma aluna do Ensino Médio, enquanto procurava o protótipo em vídeo produzido pelo seu grupo ao conectar o cabo do celular no computador: “Vamos ver se consigo achar, tenho mais de 2.500 fotos aí!”

A comunicação sempre foi, ao longo de toda a humanidade, fundamental para as relações humanas, mas o que vemos agora é a mediação dessas relações serem cada vez mais lideradas pelos aparelhos e dispositivos eletrônicos. A imagem virou mídia soberana; o olho o órgão dominante.
 
 Mas será que podemos usar nossa percepção e expressão — e por que não — nossa autoria para gerar criações com mais qualidade estética? Que possam ter a arte como ponto focal, instigando sensibilidade por parte de quem as produziu e de quem vai contemplar? 
 
 Saiba mais sobre o curso que une a abordagem do Design Thinking para Educadores e a ideia da sociedade aparelhada, leia o post completo aqui