Quem sou eu?

Quem me conhece sabe que sempre gostei de escrever, sempre gostei de expressar a minha opinião. Desde os tempos de escola nunca tive receio de apresentar trabalhos pois sempre gostei da exposição.

A minha primeira tentativa de graduação universitária foi num curso que poucos arriscariam como possibilidade para alguém como eu: Ciências Contábeis. Sim, Contábeis. Porque um cara como o descrito acima faria um curso desses? Por que na época eu tinha a necessidade voltar a estudar, voltar a frequentar salas de aula, conhecer pessoas, pois fazia um ano que estava fora deste ambiente.

A experiência na área contábil me rendeu conhecimento — sempre digo que o tempo é sempre ganho, nunca se perde tempo estudando, algo sempre fica — e fiz amizades que duram até hoje. Digamos que o meu lado burocrata agradece comovido.

Em 1994, comecei minha graduação em História na UFRGS, de onde sai Licenciado e Bacharel no curso. Em 1996, tive a primeira oportunidade em co-autor de livros na área. Como estagiário, pesquisei e publiquei, pela SMC/PMPA, o livro “Morro Santana”, da extinta série “Memória dos Bairros” que dava voz aos moradores para contaram a formação do seu bairro, claro que tudo entrelaçado pela pesquisa historiográfica.

Com esta experiência em escrever, somada às características citadas no começo deste texto, dá pra imaginar como fica a personalidade da pessoa…

Entre os anos de 1996 e 2001, participei da publicação de aproximadamente 10 livros na área de História, fosse apenas na parte de pesquisa histórica, fosse na pesquisa histórica somada ao texto final.

No ano de 2006, retornei para a UFRGS — mais uma vez querendo rever a experiência acadêmica- fiz Pós-graduação e tornei-me Especialista em Patrimônio Cultural em Centros Urbanos em 2007. Meu trabalho de conclusão retomava a análise histórica de um conjunto habitacional de Santa Maria — que havia sido motivo de um livro publicado em 2002: a Vila Belga.

Depois de 15 anos lecionando em escolas públicas decidi que era hora de procurar um outro rumo e tentar dar vazão a esta vontade de escrever, publicar, pensar, discutir. Enfim, de se expor. Foi neste instante que surgiu a ideia de retomar a vontade de fazer jornalismo.

O interesse por buscar este curso somado ao fato de ter uma faculdade próxima de casa oferecendo a primeira turma resultou na concretização do começo desta história.

Iniciei o curso de Jornalismo na Fadergs em março de 2016 e, de lá prá cá, fiz muitos amigos, sigo aprendendo muito — a gente tá sempre aprendendo, lembra?- e, como já referi anteriormente, sempre gostei do ambiente acadêmico.

Hoje, divido meu dia entre as escolas que leciono, a família que tenho e a faculdade que resolvi começar. Entre estes compromissos, arranjo um tempo pra fazer o que mais gosto: escrever. E se sobra um tempinho…como algo e durmo.

Se você chegou até aqui, parabéns por aguentar. Parafraseando o poeta, você é, antes de tudo, um forte.

Até a próxima,

Ulisses Borba dos Santos