Incômodo

Estava escovando os dentes olhando distraidamente para o espelho. No horizonte, um pensamento incômodo ia tomando forma, foi se aproximando, chegou de mala e cuia sem cumprimentar ninguém e se instalou. Era uma dúvida, fruto de outro pensamento que neste dia fora absoluto.

Durante todo o dia havia sido refém, não conseguira pensar em outra coisa que não fosse a escrita, ou melhor, a vontade de escrever. Como, já há anos, vinha adiando esse desejo.

Não era a primeira vez que pensava com tanta força nisso, mas dessa vez parecia diferente. Dessa vez sabia que não basta apenas um dia, que o mais importante é a manutenção do querer e a continuidade do esforço, é a persistência na busca do seu objetivo.

Porém, em frente ao espelho, com a pasta de dente já escorrendo pelo canto da boca e com um olhar perdido, a dúvida. Na verdade mesmo, ela surgiu e começou a ganhar força um pouquinho antes, mas não seria de modo algum elegante começar o texto sentado em um momento tão pessoal do dia.

De qualquer forma, era agora, em pé, que sentia que a incerteza havia, por fim, chego com tudo: "Afinal, sobre o que escrever?"

É engraçado como as coisas às vezes parecem muito mais complicadas do que realmente são. Uma questão que surgiu com tamanha força, gerando tanta hesitação e insegurança; que parecia tão complexa e sem resposta aparente; que devia mesmo se instalar o mais confortavelmente possível e sentir-se em casa, pois com certeza não iria embora tão cedo... Sequer cruzou a porta do banheiro.

"Ora, escrever sobre isso! Escrever sobre aquilo, escrever sobre tudo, escrever sobre qualquer coisa. Só não posso mais deixar de escrever." Dizia em voz alta caminhando em direção ao quarto.

…E não é que dessa vez eu escrevi mesmo! :)