Análise do elenco – Parte II – Posição por posição.

Considerando o fato do técnico Mark Warburton querer quatro ou cinco reforços para a próxima temporada, vamos analisar onde seria mais preciso reforçar nosso atual elenco.

GOLEIROS:

Jordan Smith agarrou a oportunidade como titular.

Quando perdeu Stephen Henderson em fevereiro o Forest cogitou trazer um novo goleiro já que Vladimir Stojkovic e Dimitar Evtimov estavam se recuperando de lesão. Jordan Smith ganhou a chance e mandou muito bem! Deve começar como titular na próxima temporada. Henderson quando voltar de lesão deve ser uma boa sombra pro jovem goleiro do Forest. Stojkovic deve sair já que não deve ter oportunidades de jogar. Já os jovens Evtimov e Erlandsson deve ser a terceira e quarta opções no início da temporada. A contratação de um novo goleiro não deve ser uma opção logo de cara. Só se pintar algum bom negócio pro Forest que envolva um arqueiro de qualidade.

ZAGUEIROS:

Joe Worrall um dos destaques da zaga em ação.

A defesa mais vazada da Championship depois do lanterna Rotherham deve ter mudanças para a próxima temporada. É claro que Warburton ainda ver qualidades em seus defensores, apesar dos números negativos, tanto que premiou Michael Mancienne com uma renovação de contrato. Mancienne que joga em várias posições tem qualidade mas precisa se livrar das lesões que atrapalham.

Outro destaque é o jovem Joe Worrall, que foi titular absoluto após a chegada de Warburton.

Jack Hobbs e Damien Perquis são dúvidas se irão permanecer, assim como o finlandês Thomas Lam, que apesar de ter aparecido diversas vezes no banco de suplentes, não chegou a atuar sob o comando do técnico. Danny Fox talvez dispute vaga na zaga na próxima temporada e jovem da base Anel Ahmedhodzic deve ganhar oportunidade na próxima temporada também.

Considerando uma linha de defesa com 3 zagueiros utilizada em algumas vezes por Warburton e as provável saídas é imprescindível trazer pelo menos um zagueiro pra reforçar o setor.

LATERAIS:

Eric Lichaj muito consistente mas sem concorrente na lateral direita

O setor com menos opções no elenco deve receber um olhar cuidadoso do clube. Com a confirmação da saída de Dani Pinillos, a lateral esquerda ficou com Armand Traore e Danny Fox, mas esse último, como já dissemos é provável que vire zagueiro e dispute posição na zaga, assim ficaríamos apenas com o senegalês no setor. Mesma situação se aplica para lateral direita. Eric Lichaj nada de braçada no setor. Hilderberto Pereira não conseguiu agradar e Mancienne faz as vezes de lateral quando o titular não pode jogar.

Provavelmente chegará reforços pra esses setores. Na direita para dar mais competitividade e na esquerda alguém pra ser titular já que nenhum se firmou ainda.

VOLANTES/MEIAS CENTRAIS:

Chris Cohen fundamental quando bem fisicamente e longe das lesões.

Posição fundamental no futebol e que no Forest tem dois titulares incontestáveis para boa parte torcida. Cohen e Vaughan foram titulares em todos os jogos sob o comando de Mark Warburton devem continuar como titulares na próxima temporada, pelo menos iniciarão a temporada assim. Mas se o planejamento for bem feito e acreditamos que será bem executado o time deve trazer ao menos mais um jogador nessa posição. Dado a idade e aos problemas de lesão que costumam atrapalhar a dupla. Alguns pedem um jogador de mais presença física na posição. Veremos…

MEIAS/ATACANTES/WINGERS:

Britt Assombalonga artilheiro do Nottingham Forest na temporada com 15 gols.

Uma posição que pode sempre ser melhorada e no caso do Forest precisa. Diria que é quase certo que nessas posições de criação de jogadas e finalização chegarão reforços. Temos ótimos jogadores nesse setor como Ben Osborn, Zach Clough, Jamie Ward, Britt Assombalonga e Ben Brereton mas para quem busca uma melhora significativa de desempenho e melhores resultados é imprescindível que tenhamos opções com as mesmas ou até mais qualidade das atuais disponíveis no elenco.

Apostolos Vellios será muito útil ao time ainda se permanecer na próxima temporada.

Apostolos Vellios e Muzzy Carayol dão alternativas diferentes de jogo ao técnico e podem ser aproveitados na próxima temporada. Na academia temos alguns bons nomes que devem ganhar oportunidades como Toby Edser e Virgil Gomis.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.