Solo equilibrado

Em meados de outubro nós da Radiko fomos em um evento de gastronomia orgânica, e tivemos a oportunidade de acompanhar um momento de homenagem à Ana Primavesi.

Ela diz que devemos amar o solo, e que um solo em equilíbrio não tem pragas.

Pode parecer óbvio e fazer muito sentido para algumas pessoas, ou um tanto absurdo para outras, mas fato é que não agimos assim no dia a dia. Pois ao invés de tratar a causa, geralmente buscamos atacar as consequências.

Por aqui no post ainda estamos falando de alimentação (como no primeiro ferramentas mágicas) e isso tem ligação direta com o solo:

-Pois tudo é interligado, mesmo quando a sociedade cartesiana tenta fragmentar.

-Pois nosso alimento vem do solo (ou deveria, em outro caso não tenho certeza se pode ser chamado de alimento)

-Porque a mesma lógica vale para nosso campo fisico, nosso corpo.

Vamos lá, para considerar um alimento saudável não vale ele vir com um selinho dizendo isso, isso é fácil de produzir (não estou falando das certificações como de orgânicos, elas são trabalhosas, mas para colocar saudável no nome é só escrever e imprimir, mesmo se estiver vendendo plástico com sabor artificial de morango), a questão é a origem dele. Então uma linda maçã enorme, proporcional, e brilhosa, talvez tenha menos energia e nutrientes do que uma menor, com 1 ou dois amassados e uma cor menos vibrante. Geralmente este brilhante é cera que eles passam para dar este efeito, e pode ser tóxica!

Se o tipo de coisa que esta te alimentando vem numa linda embalagem, mas não tem a mesma qualidade de conteúdo, então temos muitos desafios! É certo que muitas vezes alimentos orgânicos são mais caros, mas existem feiras, hortas comunitárias e até chance de plantar em casa. Para ajudar, você consultar esta ferramenta.

E comer de maneira saudável dá mais trabalho? Não vou mentir, provavelmente sim.

Depende se você vai preparar as coisas individualmente ou em conjunto, se tem a chance de comprar algumas coisas já preparadas, ou não. Existem formas de facilitar, como congelar alguns preparados como sucos naturais, pois assim você vai ter um suco natural, mesmo que não tão fresco, e não uma caixinha com liquido sabor vermelho e um monte de conservantes.

Mas este trabalho extra do qual estamos falando é pequeno e diluído. Se for comparar com o tempo de preparo de algumas refeições mais conhecidas e principalmente com o trabalho de ir atrás de remediar o estrago depois, seja com antiácidos, seja em consultas e longos tratamentos não seria nem justo chamar de trabalho.

Fora a energia extra que uma alimentação mais viva proporciona! Com esta energia fazer as coisas na cozinha ou qualquer outro canto fica mais tranquilo, então é ganha ganha.

Quando estou falando de ALIMENTAÇÃO VIVA, estou me referindo aos alimentos naturais, como frutas e verduras frescas, sucos naturais, e grãos germinados, o que aumenta seu potencial energético dos grãos, assim como alimentos fermentados.

Meses atrás eu vi uma palestra deste tema alimentação viva e foram mencionadas 3 categorias de alimentos:

- Frutas e verduras : ok, isso eu já já consumia e não parecia muito difícil aumentar.

-Grãos germinados: eu já tinha testado isso antes, continuamente ainda me são um tantinho desafiantes (talvez falte uma dose extra de disciplina), mas ok também.

-Fermentados: esta parte ainda me soava estrangeira. E para ser sincera um pouco intimidante também.

A maior razão pela qual soava intimidante é porque enquanto coletivo estamos acostumados a ser abióticos, ou seja, contra a vida, entendemos todas as bacterias e seres que desconhecemos como ruins e queremos nos afastar deles o máximo possível. Talvez seja por isso que enquanto cultura nos aproximamos mais de máquinas dos que de outros seres vivos.

O curioso de como o universo funciona é que quando colocamos intenção e estamos atentos, a sincronicidade está a nossa volta e as coisas vão acontecendo. Então desde àquela palestra eu fui me conectando mais e mais com este estilo de alimentação, deixando açúcares (mesmo não refinados) por doces naturais a base de tâmaras, diminuindo farinhas e glútem e descobrindo outras combinações e sabores. O engraçado é que quanto mais em estado de ignorância (de desconhecer mesmo) estamos, achamos que certo tipo de alimentação reduz as possibilidades, mas quando nos conectamos com aquilo e vamos mais a fundo, descobrimos que pode ampliar e muito.

Constantemente eu vejo alguma tirinha em quadrinhos comentando de como vegano não come nada e o personagem lá com prato lotado com muito mais que salada, ao lado de um prato amarelo ou marrom do questionador. Eu não tive esta questão com o veganismo, inclusive comecei a conhecer mais de comida mexicana, introduzir hommus na minha alimentação e comer mais vegetais depois desta escolha de vida. Mas com comida crudívora eu tinha este preconceito, achava que teria que viver de sucos complicados, frutas e grãos que davam um trabalhinho para germinar. E então fui conhecendo uma combinação de sabores e variedade de preparos absurda, fora os fermentados que agora são parte da minha cozinha!

Eu fui me aproximando pouco a pouco dos tais fermentados. Comecei com Rejuvelac de quinoa, que foi a coisa mais fácil de fazer, pois só precisa do grão e água para começar. Depois de 2 tentativas bem sucedidas apareceu em casa um punhadinho de kefir de água (ou tibicos). Eu já vinha me encontrando com estes serezinhos pela estrada e nunca tinha realmente me conectado, nem sabia gosto e como funcionava. Mas eles chegaram e fui atrás de cuidar e preparar a água fermentada que pode ser consumida.

Neste meio tempo eu já estava provando kombuchas Américas afora, sabores, concentração, benefícios, e então apareceu, um curso de aprender a fazer kombucha em casa e ainda ganhava o kit com scoby e tudo. Scoby é a colônia de microorganismos que fermenta o chá e açúcar que vão ser a base da kombucha.

Estou aprendendo muito com tudo isso, inclusive e talvez principalmente, mesmo que isso me deixe chateada, com os erros e desafios. E aí é que vive toda a beleza do processo, ele é vivo, não pode ser lá muito previsível e muito menos mecanizado.

Mas a nossa vida é assim também, podemos até buscar processos de mecanização e otimização, mas eles vão nos deixar desconectados, infelizes e em desequilíbrio. Lembra do solo que comentei no começo? Então, se sua vida ou rotina também não tiverem harmonia, as folhas podem amarelar, a terra terá deficiência de nutrientes e pode acabar atraindo seres indesejados, dos quais provavelmente não terá estrutura para se defender sozinha.

Então sinto muito se você queria respostas instantâneas e soluções práticas como as de comercial, na natureza não tem! Mas tem magia sim, e como ;)