Marionete

Você ja sentiu como se não tivesse controle da sua vida? Como se seu corpo não te pertencesse? Como se cada decisão sua fosse tomada por outra pessoa e não por você?
É como se você fosse uma marionete e apenas pudesse fazer e sentir aquilo que é permitido pela pessoa que te controla. 
Como se houvesse cordas controlando cada pedacinho seu, controlando os sentimentos e atitudes permitidas e tudo que a corda não fosse capaz de controlar seria errado.
Aí eu paro e penso que minha vida, nessas condições, não teria razão nenhuma de existir porque essa pessoa, essa Marionete sem o mínimo de liberdade não é um outro ser humano, único e especial, é apenas uma cópia de quem controla a Marionete.
E essa pessoa que a controla, deposita todas as suas esperanças e sonhos na Marionete, para que ela se torne aquilo que a Controladora quer, aquilo que ela acha que é um modelo ideal e perfeito de um ser humano. 
A Marionete sempre é oca porque não foi preenchida com nada, nem emoções, sentimentos, e muito menos sonhos e esperanças.
A Marionete não morre porque não há morte se não há vida, e a Marionete não tem vida.

A Marionete sou eu e você nem percebe.

Like what you read? Give Rafaela Mendes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.