Despertar

Por Rafaella Campanelli

Um dia eu acordei e percebi que tudo tinha mudado.

Despertar de um sono profundo, e abrir os olhos para o sol da manhã, nem sempre é uma tarefa fácil. Primeiro, respiramos fundo, olhamos para o teto e para os objetos ao nosso redor, procurando resquícios do sonho em que estivemos imersos por algumas horas. E então, nos damos conta de que não é mais um sonho. Os medos e perigos são reais e podem deixar marcas profundas ou apenas arranhões, mas jamais passarão despercebidos.

Foi desta forma que me senti quando acordei. Nem todos os meus amigos estavam ali, mas os que ficaram eram os verdadeiros. E os novos, ainda são muito recentes para dizer alguma coisa…

O que fazer?

Deitar novamente e esperar que o sonho volte? Não creio que isso irá acontecer…

Uma vez desperto é quase impossível voltar para o mesmo sonho de antes.

Então, vou levantar desta cama em que estive por tanto tempo. Vou deixar o vento da manhã entrar por estas janelas. Colocar uma roupa. Pegar as minhas coisas e sair porta afora. E enfrentar o novo dia, com suas esperanças, medos e novidades.

Deixar para trás o sonho e começar a viver…