Sozinho, hoje, amanhã e para sempre. Minha mente nunca esteve tão distante e desconexa da realidade das outras pessoas ao meu redor. Sinto pena delas, e sinto pena de mim. Mesmo não sentindo nada.

Afastei todos que viviam ao meu redor e sozinho em meu próprio mundo tentei ditar as regras, certas ou erradas. De que importa. É meu mundo.

Já me perguntei se deveria abrir espaço para novas pessoas adentrarem a isso, mas prefiro ser visto de longe como um lobo que uiva por toda a madrugada, mostrando poder, força e controle sobre tudo aquilo que é seu. Um lobo que mesmo cercado por sua vala de orgulho, espera ansiosamente que alguém vá, e o tire de lá.

Não é um lobo qualquer, e não por opção. A vida o fez lobo. O lobo que vive em sua própria lua.

Muitos temem, são poucos os que se aproximam. E existe ainda a chance deste animal, quase que incontrolado espante e apavore aqueles que trazem ajuda.

Sozinho em noites frias, ele pensa naquilo que o faz viver, e lembra que está apenas em uma busca. Quem será que irá tirar este animal de sua lua, de seu planeta particular, de seu habitat? Só ele sabe…

Muitos dizem que a busca para a compreensão deste animal, seguida de indagações sobre tudo, são o melhor caminho para a solução tão desejada.