Quadro na Parede

Trocamos.

Fomos embora.

Eu fui o último.

E eu que nunca fui muito de observar, notei que o meu próprio olhar estava a detalhar tudo aquilo com que antes eu insistia em ralhar.

Trocado o espaço eles saíram a recriar.

Eu fiquei com os olhos parados ali.

Naquele quadro na parede.

A última lembrança.

O quadro sempre me foi um pouco estranho.

Pra mim e para os outros que o esqueceram na mudança.

Como se esquece aquilo que não se quer lembrar.

E como se procura lembrar daquilo que nunca aconteceu.

Por pura esperança.

Fiquei a analisar o quadro.

Moldura de felicidade,

Mofo de rancor.

Quietude de normalidade.

Tudo. De Nada

E fui embora.

Era apenas um quadro.