Perfeccionismo — o que é e como lidar com ele? (Parte 1)

Se existe uma “epidemia” psicológica que eu possa perceber no meu consultório, é sem dúvida o perfeccionismo. Eu não falo de ser, de fato, uma pessoa sem falhas. Falo da noção de que é assim que deveríamos ser, a noção de que é possível nunca falhar, fazer tudo sempre “certo”. Quando eu pergunto para os meus pacientes o que é algo “perfeito”, a resposta mais comum é essa: “algo sem falhas”. E aí eu faço um exercício com eles que é mais ou menos assim:

Pense em um momento que para você foi perfeito. Pode ser na sua infância, adolescência, ou algum mais recente. Não precisa ser um grande momento, pode ser algo normal, do dia-a-dia. Fale sobre ele. Tudo aconteceu exatamente como deveria? Não houve nenhum problema, nenhum percalço, nenhum susto ou emoção negativa? A sua roupa, o seu cabelo, quanto dinheiro você tinha na carteira, nada disso poderia ter sido melhor?

E as respostas — que são as mais variadas possíveis — sempre tem algo em comum: o momento não foi perfeito porque não houve nenhuma falha, porque os detalhes não poderiam ter sido de alguma forma mais, ou porque estava tudo “certo” (e o que é isso mesmo?). O momento foi perfeito porque foi completo. Ou seja, não se precisava de mais nada no momento para a alegria ser inteira.

Muitas vezes os momentos foram cheios de erros. Mas esses erros foram irrelevantes, ou por causa do humor com que se lidou com eles, ou porque tudo de positivo que aconteceu depois os fez parecer pequenos. Muitas vezes as roupas, cabelos, o peso, o dinheiro, nada disso foi nem cogitado — simplesmente porque não era importante diante do que se sentiu no momento.

Ao olhar mais profundamente, se percebe que perfeição não é um adjetivo para algo “sem erros”. Perfeito é um estado de espírito, uma emoção de completude, de se sentir inteiro mesmo quando falta um monte de coisas. E é por isso que ninguém “é” perfeito — assim como ninguém “é” amor, ou “é” gentileza. Perfeição é pessoal, e é algo que só se encontra dentro de cada um.

O primeiro passo para se lidar com o perfeccionismo é esse, compreender o que perfeição é de verdade, e o que ela significa para você.

(Leia também as outras partes desta série: Parte 2 — Você é uma pessoa Boa ou Boazinha?, uma reflexão sobre o poder da opinião dos outros na sua vida; Parte 3 — Quem manda em você?, uma análise do seu crítico interno; e Parte 4 — Como se tratar com mais gentileza, onde eu dou dicas para como lidar com tudo isso)