O dia em que baixei o Freeletics

Tomei uma decisão muito importante: resolvi baixar um aplicativo de exercícios físicos que prometia me deixar em boa forma. Baixei, arrastei os móveis da sala e lá fui eu, sem aquecimento e com uma surpreendente disposição, tentar dar fim ao meu sedentarismo vergonhoso. Estava a fim também de sentir novamente o frescor da juventude. Aos 35 anos — começo o ano já dizendo a idade que farei apenas em julho — , se eu não começar a me mexer, a coisa vai ficar bem feia para o meu lado.

Fiz os exercícios propostos — segundo o app, os mais leves — , e agora estou aqui, travada, incapaz de erguer o controle remoto. Tudo dói. É isso o que acontece com gente que, assim como eu, só está acostumada a correr atrás de ônibus e de promoção relâmpago no supermercado.