10 elogios e uma crítica

É a primeira vez que escrevo aqui no Medium, ou melhor que escrevo em geral na internet.

Meus pensamentos sempre foram falados, mas com incentivo de alguns usuários decidi levantar uma questão:

Por que as pessoas que expõem seu conteúdo (seja ele escrito, fotografado ou falado) tendem a ignorar uma chuva de elogios e se deixam abalar por uma única crítica (construtiva ou não)?!

Falo isso de forma generalizada (olha o medo da crítica) e vou citar um exemplo; meu namorado escreveu um texto sobre a venda do carro dele e a substituição deste pelo Uber. Tal post foi colocado no Medium como forma de teste, para me incentivar a colocar minhas ideias no “papel”, só para eu ver como era fácil ser lida e repercutida - positivamente ou não.

Resumo, a publicação dele bombou em pouquíssimos dias, de uma maneira que ele nunca imaginou. Nossa humilde ideia era “ah umas 10 pessoas devem ler né?!”. E surpreendemente o número alcançado foi mais de 100 mil leitores.

Com tanta repercussão, vieram muitos comentários elogiosos!

Ele me mostrava constantemente tais feedbacks, porém, eis que no 2° dia -a crítica, UMA crítica (tiveram mais ao longo do tempo, porém quero falar dessa primeira).

Pra quê… ele SÓ falava disso! Os elogios passaram batido, mas aquela alfinetada, ah aquela doeu.

Não tanto pelo conteúdo, mas por ter sido a única até então.

“Não acredito que tal pessoa falou aquilo, ela entendeu tudo errado, eu vou responder, melhor não, ou respondo?”

E foi nessa oscilação que os dias foram passando, até aquilo ser esquecido de vez.

Chego então no X da questão:

Por que ligamos TANTO para crítica de um estranho?

Por que as palavras negativas têm mais peso que as positivas?

Por que essa proporção tão louca?

Vaidade, ego, a psicologia tem 1001 termos para explicar, que se encaixariam como uma luva.

Mas e nós mesmos? Como podemos explicar?

É como se todo mundo tivesse te elogiando só pra te agradar, e aquela pessoa que criticou é a "honestona da paróquia"!

De novo, que proporção maluca é essa? Não faria mais sentido acreditar nos vários elogios do que em uma única crítica?

Fomos muito mimados? Nossos pais diziam que nosso desenho era o mais lindo do mundo, como que vem um estranho agora desmentir falando que não é!?

A crítica é como se fosse aquele jeito que você deu no pescoço quando olhou depressa pro outro lado. No calor do momento você diz, “que bobagem não foi nada.” Mas na hora de dormir aquilo trava e você não prega o olho a noite inteira.

A dor incomoda, você só lembra que tem pescoço quando tem um torcicolo.

Somos vaidosos ao publicar, ansiosos no que vai dar, corajosos de criticar e temerosos do que vão falar.

Às vezes somos até mentirosos e condutores de negócios velados: leia o meu que eu leio o seu, curta o meu que eu curto o seu, elogia o meu que elogio o seu, critica o meu para ver o que eu faço com seu, experimenta não me seguir… dou unfollow na hora!

Tudo é muito bonito e fácil quando se recebe elogios, você anda nas nuvens e se sente poderoso.

A danada da crítica te faz lembrar que você não é a última bolacha do pacote e muito menos o gás da coca cola.

Não que eu consiga fazer, na verdade vou experimentar agora, mas vou procurar absorver o que vier, seja o que for, seja um elogio para eu voar ou uma crítica para me aterrizar.

Enfim, ciente do clichê digo: é um jogo, ganha aquele que menos se ligar que está nele. (Pode usar essa frase no próximo BBB, Bial)