Intercâmbio

Uma aventura em busca do conhecimento — Parte II

Este é o segundo artigo de nosso correspondente especial na Irlanda, Leandro Arakaki, formado em Ciência da Computação. Uma verdadeira aventura que ele está compartilhando conosco, enriquecendo (e muito) nossa revista. O artigo desta edição está dividido em três partes, trazendo muitas informações e curiosidades sobre a Irlanda, além de valiosas dicas para todos que sonham em conhecer outros países do mundo em busca de conhecimento. O primeiro artigo também está publicado neste nosso espaço virtual.

Pré-intercâmbio, choque cultural, peculiaridades e belezas da Irlanda

Por Leandro Arakaki, correspondente especial na Irlanda

Pré-intercâmbio

Muitas dúvidas surgem ao planejar um intercâmbio. A principal delas é a definição do destino. Para facilitar, é necessário que se tenha um objetivo claro em mente, como por exemplo estudar inglês, fazer dado curso ou a simples imersão cultural em determinado país.

É de suma importância fazer um orçamento, que seja o mais detalhado possível, para não passar aperto e ter de recorrer à família ou a empréstimos de amigos ou bancos. O ideal é fazer uma previsão de gastos em geral, como alimentação, acomodação, viagens, lazer, transportes, cursos, despesas com seguro saúde, documentação, além de ter uma reserva para eventuais emergências.

Aqui, tive a oportunidade de conhecer pessoas que vieram para ficar por um tempo, mas que tiveram de retornar bem mais cedo do que a intenção inicial, pois acabaram gastando muito mais do que imaginavam. Por tal motivo, não tenho dúvidas de que um bom planejamento é fundamental!
“A maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassa por não planejar.”
John Beckley

Entretanto, por mais minucioso que possa ser seu planejamento, sempre haverá divergências, pois é muito difícil prever tudo o que ocorrerá. Como disse Lúcio Costa, “a única coisa garantida no planejamento é que as coisas nunca ocorrem como foram planejadas”. Portanto, venha de cabeça aberta e se prepare para enfrentar algumas dificuldades, mas não desanime, pois isto o fará crescer muito. Afinal, “vida fácil” para que? Mares calmos não fazem bons marinheiros! Vamos viver, gente!

____________________________________________

Choque cultural e algumas peculiaridades da Irlanda

Um fator bem interessante do intercâmbio é a oportunidade de imergir na cultura de um país. E quanto mais diferente, mais interessante! Descobrir que os irlandeses comem feijão com molho de tomate, bacon, salsicha e outros no café da manhã foi sensacional. Por sinal, é bem gostoso e sustenta bem até a próxima refeição.

Mão inglesa! Dirigir na mão inglesa é muito legal! É como aprender a dirigir novamente! Quase bati o carro por diversas vezes, entrei na contramão outras milhares de vezes, sofri para fazer baliza, dar ré e trocar de marcha, mas no final das contas deu tudo certo! Talvez tenha tido uma vantagem, pois em Alfenas existem duas ou três ruas em mão inglesa (risos).

Atenção! Eles não têm cesto de lixo nos banheiros. Usou? Basta jogar na privada e dar descarga! Simples assim. Em relação ao clima, só tenho uma palavra: terrível, ao menos para quem não aprecia tanto o frio como eu. Frio, chuva e muito vento. Chove praticamente todos os dias, nem que seja uma “garoazinha”. Contudo, com o passar do tempo você se adapta — com raras exceções, como no caso do baiano que foi embora em duas semanas, pois não aguentou o frio. No verão, escurece às 21 horas; no inverno, às 16 horas já está escuro. Como sou movido a energia solar, às 16 horas já estou quietinho em casa (mentira, quietinho no pub). 
____________________________________________

Belezas da Irlanda

As paisagens da Irlanda são incríveis! Lagos sensacionais, parques, montanhas, castelos, rios, cavernas, enfim, cenários de tirar o fôlego! Tive a oportunidade de fazer uma road-trip de ponta a ponta pela Irlanda, em que pude ver lugares maravilhosos!

Infelizmente, minhas fotos não transmitem toda a magnitude dos lugares, provavelmente porque minha câmera é ruim! Ok, sendo sincero, é provável que eu seja um péssimo fotógrafo mesmo! Comigo é assim: mirar e clicar, simplesmente, sem técnica nenhuma. Voltando ao assunto, tive o privilégio de fazer a road-trip pela Irlanda de ponta a ponta, foi uma experiência inesquecível.

Leandro Arakaki