Paris comme une parisienne

Conheça uma das cidades mais famosas do mundo como se você vivesse lá

Por Priscila Wiegandt

Derepente, você decidiu visitar Paris! Reservou passagem, hotel, leu todos os tópicos no TripAdvisor e não perde um post do “Conexão Paris”. Você já reservou com antecedência os billets para entrar na Notre-Dame e na Tour Eiffel sem fila, separou uma tarde para o Louvre e comprou um jantar no Bateaux-Mouche. Se você está fazendo uma “viagem-pacote-10-países-em-7-dias”, esta matéria não te ajudará. Mas se o objetivo é aproveitar Paris como um parisiense, as dicas servirão para você!

A primeira escolha que deve ser feita com cautela é a época em que você visitará a cidade. Primavera e outono são as minhas estações favoritas: os jardins ficam incríveis, o clima é agradável e não chove com frequência. Para visitá-la, muitas pessoas escolhem o período de férias escolares. Contudo, fique atento: Paris não é uma cidade muito envolvida com os feriados de fim de ano. Em julho, todas as atrações ficam lotadas.

A escolha do hotel vem logo em seguida, e todo mundo quer ficar hospedado perto da Torre Eiffel. Não cometa esse erro, pois os hotéis ali são mais caros e o bairro não é interessante. Pense bem: você quer acordar todos os dias e enfrentar uma multidão de turistas logo pela manhã? O bairro para se hospedar é uma escolha bastante pessoal.

Eu costumava morar no bairro “Wagram”. Gosto muito da tranquilidade daquela área, entre os 17º e 8º arrondissements. Se você viaja com um grupo de amigos, os bairros “Saint Germain” e “Marais” têm uma vida noturna agitada. Se a viagem é com o seu amor, não se preocupe, há inúmeras atrações românticas perto de vários pontos. Fuja das seguintes áreas: 19º, 20º, 12º, 13º, 14º e 15º. Todas têm atrações interessantes, mas procure se hospedar em uma área mais central. Fique tranquilo, a torre pode ser contemplada através de janelas por toda a cidade.

O que levar na mala? Sapatos confortáveis! A fashionista dentro de você pode querer ser vista em um Café comendo croissants enquanto veste scarpins altíssimos… Acredite: as francesas evitam saltos até mesmo em casas noturnas. Leve um, mas um apenas, já que não há como resistir! Reserve espaço para seu tênis, pois é o que estará em seus pés todos os dias. Outra dica importante é não perder espaço na mala levando cosméticos. Você vai comprar La Roche-Posay a preço de Dove. Você só tem 64kg para ir (e voltar), use-os com sabedoria.

Finalmente, você chegou! Avistou a torre da janelinha do avião, sentiu uma mágica interior, pensou o quanto a sua vida é glamorosa. Você está em Paris! Mal deixou as malas no hotel e já quer ir depressa pegar a fila da Torre Eiffel, só para ir correndo às Galeries Lafayette logo em seguida.

Muita calma nessa hora! Você deve primeiramente descer na estação Trocadero do metrô, avistar a torre de longe e caminhar até ela. No entanto, subir é outra coisa… Vá logo ao horário de abertura ou próximo ao fechamento. Ainda assim, você ficará pelo menos duas horas esperando, é a forma menos dolorosa de passar por essa experiência!

Morei um ano em Paris e subi a Tour Eiffel apenas uma vez. Lá de cima, você consegue ver a cidade toda, mas (obviamente) não consegue ver a torre. É bastante estranho! Gosto mais da vista da Sacre Coeur. Falando dela, esta é uma das minhas atrações prediletas. Acho incrível a arquitetura da igreja e a paz sentida em seu interior. Ao sair, contorne pela esquerda e você encontrará as deliciosas ruas do bairro “Montmatre”. Sente-se, coma um crepe. Não existe crepe ruim em Paris. Mas o melhor deles você encontra na Broceliande, na rua Trois Frères. Aproveite para comprar souvenirs, esta é a região com os melhores preços.

Antes de viajar, é crucial que você compre um guia tradutor em francês, e, se puder, faça algumas aulas. É verdade, todo parisiense fala inglês, mas você será tratado com maior cortesia se arriscar um “bonjour”. Se você tentar falar em francês e for respondido em inglês, não se ofenda: é mais rápido e prático para o garçom propor uma língua que o cliente domine.

Um restaurante indicado para quem visita Paris é o “Kong”. Localizado na cobertura de um prédio comercial, ele oferece um cardápio variado e uma vista linda da cidade. Após as 23h, um lounge no andar abaixo oferece drinks variados, música e pessoas interessantes. É necessário reservar uma mesa com um mês de antecedência para conseguir ficar na melhor área.

É essencial já chegar com uma lista preparada com os lugares a serem visitados, especialmente se você terá poucos dias na cidade. No mínimo, considere 10 dias para conhecer a capital francesa. Leia sobre os museus e selecione os mais relevantes para você. Gosto muito do Petit Palais, do Musée Galliera, o qual traz exposições sobre moda, e do Musée des Arts Décoratifs.

Vá além do clássico Louvre, pesquise sobre as exposições temporárias ocorrendo na cidade pelo site sortiraparis.fr, pergunte em seu hotel se há algum evento interessante acontecendo. A Cathédrale Notre Dame de Paris é mundialmente famosa e se localiza na Île de la Cité, uma ilha no rio Sena que é considerada o marco zero da cidade. Mais uma vez, chegue cedo, por volta das 9 horas, para entrar sem fila. Quando sair da igreja, dê uma volta pela ilha. Visite a Conciergerie e a Saint Chapelle. Nesta última, pergunte se há algum concerto programado, eles são de tirar o fôlego! Essa região apresenta ótimos restaurantes, peça um “confit de canard” com o vinho recomendado pela casa.

Tire um dia para visitar o Castelo de Versailles, mas também reserve uma tarde para o Castelo de Chantilly. São apenas 30 minutos de RER (um trem rápido que percorre a periferia de Paris), e, mesmo que o castelo não seja tão imponente quanto Versailles, a cidade de Chantilly é apaixonante. Vá ao vilarejo, peça um café com chantilly, sorvete com chantilly, leve um pouco de chantilly para casa. Conheço pessoas que não gostavam desse creme branco e doce, mas se deliciaram. Faça um piquenique. Sim, um piquenique! Vá a qualquer mercado e compre queijos, baguettes, frutas vermelhas e um vinho. Selecione um parque afastado dos turistas, como o Parc Monceau, ou, se tiver tempo, vá até Châtelet. É uma experiência deliciosa!

Quando você já estiver se sentindo a mais parisiense de todas as pessoas, vai querer fazer compras! Afinal, este é o berço e a capital da moda. Muitos brasileiros associam automaticamente viagens internacionais às compras. Entretanto, Paris não é Miami. Todas as vezes em que você pensar, em reais, o preço de qualquer coisa, irá se indignar. A única forma de sobreviver é esquecer sua moeda local, pensar em quantos euros você possui para gastar e quanto a compra representará no seu orçamento.

Ao invés de ir até a Zara e comprar diversas camisetas com vida útil de uma estação, prefira investir em algo que durará mais, talvez em algo que dure pela vida toda. Uma bolsa Chanel, por que não? Leve com você algo que será uma lembrança de Paris por muito tempo, junto às fotos e saudade da gastronomia. Volte quantas vezes você puder! Afinal, nous aurons toujours Paris*. 
*“Nós sempre teremos Paris”, famosa citação do filme Casablanca (1942).

Artigo exclusivo QShow

Confira todas as versões online da edições da Revista QShow em: issuu.com/revistaqshow

Curta nossa página no Facebook: facebook.com/RevistaQShow

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Revista QShow’s story.