Lagos Bat Lyssavirus

Você explodiu Hiroshima! Você foi, humano ser, que matou Milhões naquele caos radioativo.

No meio do calor infernal era o seu sorriso que se via por trás daquela mesa.

Você apertou aquele botão. Foi tudo sua culpa…

Aqueles gritos de ajuda que você ignorou… Aquelas crianças que perderam seu futuro…

Foi sua culpa. Só sua.

Dentro daquela câmara cheia de corpos-quase-sem-vida estava sua salvação, mas não! Você não se salvou! Você acionou aquela alavanca e a nuvem de morte adentrou a sala. Você liberou o gás.

Foi você, ser humano… que enterrou junto a alma daquela viúva que nunca mais pode se olhar.

Aquela criança que jogou terra em sua família foi você que a enterrou.

E quando a ultima janela se quebrou, você estava lá. Pilotando aquela maquina de destruição. Foi você que se sentiu o impacto daquelas vidas que do auto do prédio despencaram.

Foi você que criou o décimo primeiro dia de setembro. Você que deve carregar as milhares de vidas. Seu avião não tem mais volta.

Você que entrou naquela escola… E apertou o gatilho daquele revolve. Foi você que não errou nenhum tiro. Cada segundo uma vida… pow!

Você não acudiu os desesperados, não secou o choro, não limpou o sangue que se misturou com giz e com os sonhos.

A cada minuto é você que tira a felicidade de uma família, é você que faz uma mãe chorar. É você e sua capacidade de se autodestruir.

A cada morte dentro aquela trincheira, você sorria sentado na confortável cadeira. Sua máscara escondia a felicidade em destruir. Você foi o culpado por cada bala que perfurou o capacete do soldado que só queria ver sua filha no final do dia.

Por aquela criança que chorou, você é o vilão. Dono do plano maligno pra destruir o universo… dela!

E quando você se deita, percebe que não tem como correr da culpa que carregas…

E que cada lagrima que escorre no rosto a culpa é sua. Só sua.

É você, ser humano… É você…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.