dores da espera

Meu céu da boca dói.

Dói a ponta do lóbulo da minha orelha.

Dói a garganta para engolir a saliva, quando a forço a desviar do nó.

Dói a cabeça por não chorar.

E o peito, por trancar o grito que quero ver ressoar da minha garganta até seu ouvido e, depois, cada canto da nossa sala.

Quero te jurar amor eterno.

Quero te contar, dói desde que começou toda essa doença

é incessante.

Mas eu tenho sobrevivido

E te ouvir dizendo sim

Claramente, alto e em bom tom

SIM

anestesiaria toda essa dor

.não é a cura.

mas toda cirurgia

começa pelo anestésico.