Quick-Step Floors apesar da atribulação consegue manter uma formação competitiva

Neste mercado de transferências no ciclismo a Quick-Step Floors consegue renovar com Bob Jungels, Julian Alaphilippe, Fernando Gaviria e Philippe Gilbert o que deverá ser suficiente para garantir uma boa competitividade na próxima temporada. Créditos: Quick-Step Floors

Apesar da atribulação relativamente a sponsors que a Quick-Step Floors atravessa a realidade demonstra que a abordagem a este mercado de transferências tem sido positiva depois da confirmação da continuidade de ciclistas como Bob Jungels, Julian Alaphilippe e Fernando Gaviria. Pelo menos têm uma chance de serem competitivos na próxima temporada.

Uma das formações em evidência no mercado de transferências no ciclismo tem sido a Quick-Step Floors. Não pelos ciclistas que consegue contratar mas sim por aqueles que consegue manter. E isto no meio de uma fase agitação no que diz respeito à procura de novos sponsors para a formação.

As renovações de Bob Jungels, Julian Alaphilippe e Fernando Gaviria é quase o garantir de bons resultados na próxima temporada. Estes ciclistas já demonstraram nesta temporada de 2017 que são preponderantes não só a nível competitivo como na estratégia desta formação. Bob Jungels fechou no 8º lugar no Giro d’Italia, Julian Alaphilippe fez 3º na Milan San-Remo e 5º no Paris-Nice, e Fernando Gaviria venceu 4 etapas no Giro d’Italia. Qualquer um deles eram assuntos urgentes que precisavam de ser tratados e o investimento pela Quick-Step Floors acaba por se justificar. Sobre este assunto não existem muitas dúvidas.

Philippe Gilbert renovou com a formação o que constitui também boas notícias. Tem estado em evidência nesta temporada de 2017 principalmente depois da vitória absurdamente incrível no Tour de Flanders. Mas em termos de urgência não seria dos dossiers mais prioritários. De qualquer das maneiras é a manutenção de mais uma arma que ainda tem condições para produzir resultado de bom nível. A experiência que traz é também importante para equilibrar esta formação. Mas se tivermos em conta a imensa profundidade que a Quick-Step Floors possui na actualidade e por incrível que tenha sido a temporada de Philippe Gilbert uma eventual saída não iria ser assim tão chocante.

A saída de Matteo Trentin por outro lado vai pesar tendo em conta o auxílio que prestava em diversas corridas mas no geral não abala profundamente a formação.

E ainda existe Marcel Kittel. É nesta altura um dos dossiers pendentes mais urgentes a resolver na Quick-Step Floors. As 5 vitórias no Tour de France, e um quase triunfo na camisola verde, tornam este ciclista muito valioso. Veremos até que ponto é que a Quick-Step Floors terá capacidade para mantê-lo na formação e mesmo folga financeira para o fazer.

Um facto a levar em conta é mesmo a ascensão de Fernando Gaviria. A renovação do contracto traz um alívio à formação mas também uma possível dor de cabeça. As 4 vitórias no Giro d’Italia podem levar este ciclista a ter como objectivo na próxima temporada o Tour de France. Este objectivo também estará nos horizontes de Marcel Kittel o que pode levar a alguma instabilidade. Este será um factor que pode desequilibrar as negociações e influenciar escolhas para a próxima época. De qualquer das maneiras a Quick-Step Floors terá que encontrar uma forma de resolver este assunto o mais rápido possível.

Independentemente do que possa acontecer durante este mercado de transferências pelos menos uma coisa é quase garantida. Com a renovação de Bob Jungels, Julian Alaphilippe, e Fernando Gaviria tudo aponta para que a Quick-Step Floors continue a manter uma boa competitividade na próxima temporada.

Like what you read? Give Ruben a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.