O JEITO SERIFARIA

Vou te contar um segredo…


Depois de longos meses trabalhando no desenvolvimento do nosso novo site, enfim ele nasce u— serifaria.com

Somos uma equipe pequena e não conseguíamos nos focar exclusivamente nesse job, que sempre era deixado para depois.

Falar do próprio trabalho, basicamente requer que você o veja com uma certa distância, que construa um conceito e um pensamento crítico sobre ele, para então conseguir apresentá-lo da melhor maneira. Além de escrever de forma sucinta e simples sobre cada projeto, tem também o trabalho de fazer os mockups e encaixá-los numa estrutura, que é o próprio site.

Aliás, é sobre isso que eu quero falar, da importância de se aproveitar dos recursos que facilitam nossa vida. Sem culpa.

A estrutura do site

optamos por comprar uma estrutura pronta (um template de wordpress) e customizá-la. Assim como um chef de cozinha que assume que usou um pacote de abobrinhas cortadas e lavadas em sua receita, nós também assumimos que não desenhamos a estrutura por detrás do nosso site. Isso não diminiu de forma alguma o resultado final. E a abobrinha do chef não deixou seu prato “menos bom”. Usamos esse tempo que nos sobrou para focar no que realmente importava: selecionar, escrever e valorizar cada trabalho.

Ah, o vídeo de apresentação

esse que você vê logo abaixo e no início do nosso site.

Não, não usamos uma 5D, tampouco investimos em um profissional especializado no assunto para filmar e editar. Não que não queríamos ou que não vejamos importância nisso, muito pelo contrário. Mas estúdio pequeno é assim, a gente se vira com as ferramentas que tem, ou seja: Smartphones e aplicativos. Cada uma de nós, Luiza, Marcella e eu, filmamos um pedacinho do nosso dia a dia e depois utilizamos um aplicativo (Magisto) que fez a edição. Não é por falta de batedeira que deixamos de fazer o bolo.

Por fim, acho que conseguimos o que queríamos: apresentar nosso trabalho de uma forma profissional mas mantendo o que temos de melhor, que é o bom humor, o jeito leve de lidar com as coisas e nossa capacidade de improvisação, de resolver as coisas com o que temos em mãos.

Meu pai me deixou uma lição, num dos últimos emails que me escreveu: se o farmacêutico te diz “coloque a base no soluto”, você não vai entender nada. Se ele te disser “coloque o bicarbonato na água” você vai entender na hora, não é?. Pois é, tem que deixar a vaidade de lado e falar com o cliente que só quer um “logotipo bonito”, não um “logo clean”.

Lição deixada, lição aprendida.

Marina Chevrand

Post originalmente publicado em julho de 2014 no site serifaria.com

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.