Você mexeu diretamente com meu coração quando citou Mr.
Tandra
61

“(…) mania de projetarmos o que idealizamos nas pessoas que gostamos, e pior, queremos cobra-los por não o serem. Queremos molda-los e não aceitamos quando eles resistem. É irônico, é egoísta.” Sensacional, Tandra. Resumiu meu texto (recomendo que nem o leiam mais, partam logo pro seu comentário, a fim de economizar tempo. kkkk). E que ironia, não. O pior, é que o outro, desprotegido, nem sabe do personagem que criamos para ele. E sem perguntar-lhe se queria tal papel. Mas, mesmo assim, a gente, como diretor-roteirista-ator da própria peça ficcional-realística que passa em nossa mente, insistimos em manter o outro no papel, para que o teatro saia perfeito (o nosso “perfeito”). Loucura isso, né!!

Obrigado pelas congratulações. Mas, aqui, sou eu quem agradece, por estar sempre proseando comigo nas linhas do Medium / Medium em Português.

Abraço.