CCZ registra mais de 850 castrações entre os meses de maio e junho

Programa de esterilizações de cães e gatos do município passa a integrar políticas prioritárias do governo

O mês de maio registrou 431 castrações, e junho, 424, um total de 855 cirurgias nesses dois meses

A luta pela construção de uma política pública ética de controle populacional de cães e gatos em Contagem ganhou um importante aliado: um dos compromissos de campanha do prefeito Alex de Freitas, o programa de esterilização cirúrgica desses animais está em pleno vigor e já mostra resultados, com aumentos progressivos no número de cirurgias feitas.

Desde o início do ano, as esterilizações cirúrgicas de cães e gatos, que haviam sido suspensas em outubro de 2016, foram gradativamente retomadas, de forma a atingir a meta anunciada em março deste ano de mais de 400 castrações mensais. O mês de maio registrou 431 castrações, e junho, 424, um total de 855 cirurgias nesses dois meses, frente a 124 castrações feitas em maio e 168 em junho de 2016.

Para que o controle ético de população de cães e gatos como política pública seja possível, além de reabrir agendas para as castrações no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), a prefeitura investiu no aumento do efetivo de veterinários CCZ. No ano passado, apenas dois veterinários atuavam nas castrações. Atualmente, a equipe conta com quatro desses profissionais.

Parcerias com ONGs que atuam pela causa animal contribuem no processo

Em parceria com organizações não-governamentais (ONGs) que atuam em prol da causa animal, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) também promoveu mutirões de castração para normalizar a demanda pela esterilização cirúrgica, com foco em animais em situação de vulnerabilidade. No mês de maio, 50 cães foram castrados e no dia 2 de julho foi a vez de 70 gatos passarem pelo procedimento, em mutirão voltado só para os felinos. Nessas ações, participam dezenas de profissionais, entre servidores da SMS e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e representantes de entidades parceiras, bem como veterinários voluntários.

A veterinária voluntária Juliana Masieiro participou de ambos os mutirões. Ela atesta os benefícios da iniciativa. “Em Contagem há muitos animais errantes, e a maneira ética de lidar com essa situação é a adoção da castração em massa e da promoção da guarda responsável”, afirma.

Causa abraçada

“A tentativa de construção dessa política começou há mais de cinco anos, mas, nesse período, não tínhamos abertura para o diálogo com a prefeitura. Há dois anos criamos o grupo de proteção animal Proteger, que vem se reunindo desde então com os órgãos do município ligados ao tema para a construção da política de controle populacional e guarda responsável no município. Contudo, havia diálogo, mas não existia o recurso. Agora, esse novo governo abraçou a causa”, afirma a diretora do CCZ, Mariana Licéia Campos de Oliveira. “Vamos concentrar esforços para a estruturação de todo o CCZ na proposta de ampliação para toda a população de Contagem”, completa o chefe do CCZ, Acácio de Macedo Matos.

Data:18/07/2017

Repórter: Carolina Brauer

Fotos: Adelcio Barbosa