Distrito Industrial de Saúde promove vacinação nas escolas

Expectativa é de vacinar aproximadamente 2.100 alunos de 7 unidades de ensino da região

Os alunos da escola Virgílio de Melo Franco receberam as doses das vacinas nessa quarta-feira (13)

Vitória Cristina, 12 anos, aluna da Escola Municipal Virgílio de Melo Franco, recebeu nessa quarta-feira (13), a dose da vacina contra a meningite C. A presença da equipe de saúde, na escola, surpreendeu a aluna. “Achei muito importante essa iniciativa de vir a escola, nem todos podem ir ao posto de saúde para receber a vacina. Agora estou protegida contra a doença”, ressaltou a jovem.

Cerca de 2.100 alunos, esse é o número de estudantes que a Secretaria Municipal de Saúde pretende vacinar cerca de 2.100 alunos no mês de setembro, de sete escolas públicas da Regional Industrial. A iniciativa, promovida por meio do Distrito de Saúde da Região Industrial, visa vacinar, contra HPV, meningite e Triviral (rubéola caxumba e sarampo), alunos de 5 a 15 anos. A ação é inovadora em Contagem e começou a ser feita nessa quarta-feira (13).

A Escola Municipal Virgílio de Melo Franco, localizada na Vila São Paulo, conta com 500 alunos. Desse total, cerca de 140 estão na faixa etária do programa de vacinação e irão receber a vacina. “Vamos vacinar cerca de 80 alunos, ou seja mais de 50% dos alunos, aptos, receberão a vacina”, destacou a diretora da escola, Valma Alves da Silva.

A referência Técnica do Distrito de Saúde da Região Industrial, Ana Flávia, ressaltou que o objetivo do distrito é ampliar o número de crianças e jovens vacinados na região. Em relação a vacina contra o HPV, ela faz um alerta. “Muitos pais tem o preconceito em relação a essa vacina, achando que vai induzir o filho a vida sexual, isso é mentira. Peço aos pais que vacinem seus filhos e filhas, a vacina protege contra uma doença séria que é o câncer”.

Em Contagem, na faixa etária de 5 a 15 anos, cerca de 11.200 crianças e adolescentes foram vacinadas contra HPV, 6.500 receberam a dose contra a meningite C e 284 foram protegidas contra a rubéola, caxumba e sarampo. Números considerados pequenos pela Secretaria de Saúde, devido a baixa procura e/ou desatenção dos pais.

Data: 14/09/2017

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Barbosa