Escape From The Bronx: o dobro de explosões e galhofa extra de brinde

Se você acompanha as nossas postagens, deve se lembrar do sensacional “1990: The Bronx Warriors”, uma história explosiva sobre gangues de rua que mistura várias influências hollywoodianas. No final do texto foi dito que existia uma sequência da obra, e é justamente dela que falaremos hoje.

Logo de cara, uma voz vinda de um carro de som alerta que todos devem evacuar o Bronx, e uma placa explica que a área foi considerada inabitável e que os moradores devem sair pacificamente, pois serão relocados em conjuntos habitacionais no Novo México. Só que os responsáveis pela retirada das pessoas não têm nada de pacíficos, e simplesmente invadem as casas queimando quem estiver dentro com lança-chamas. Bom, era de se esperar, já que a equipe se chama D.A.S — Desinfestation Annihilation Squad (Esquadrão de Aniquilação e Desinfestação).

Enquanto isso, nosso herói Trash está perambulando pelas ruínas da cidade com sua moto, quando é avistado por policiais em um helicóptero que prontamente abrem fogo contra o rapaz, que revida os disparos com seu revólver calibre 38 carregado com munição anti-aérea, EXPLODINDO a aeronave com meia dúzia de tiros. Livre da polícia, ele se dirige a um abrigo subterrâneo onde os membros remanescentes de várias gangues (uma excelente desculpa para reutilizar figurinos do primeiro filme) se escondem da lei, armazenando munição para resistir à evacuação. Trash acredita que a resistência deve começar logo, pois seus pais ainda vivem no Bronx, assim como muitas outras pessoas de bem. Porém, é tarde demais pra tais preocupações, pois a essa altura os velhos já foram transformados em churrasquinho pelo D.A.S (reparem que os corpos que Trash encontra estão maquiados para parecer que sofreram queimaduras, mas suas roupas estão intactas).

A tal evacuação, na verdade, faz parte de um plano para demolir o bairro, dando lugar a condomínios de luxo. E a demolição começa quando Trash ainda está velando seus carbonizados pais; o cara escapa por sorte de ser soterrado. Essa cena, por sinal, é engraçadíssima, pois as simpáticas maquetes que são explodidas (e não implodidas como deveria ser) voam pra todos os lados, caindo de uma só vez. Segurança pra quê, né? Estão destruindo a porra toda mesmo; explode tudo que é mais rápido.
Já nas cenas do interior dos prédios, vemos Trash correndo no meio de pequenas explosões que não se parecem nada com o que é mostrado do lado de fora.

Cansado de tanto abuso, Trash lidera uma rebelião e passa a atacar os homens do D.A.S — pra sorte dele, a grana pra pagar figurantes era curta, por isso as tropas se reúnem em grupos pequenos que são devastados relativamente rápido. Nosso herói sabe que o abrigo subterrâneo das gangues não será seguro por muito tempo e, com a ajuda de uma repórter indignada com o genocídio, bola um plano pra sequestrar o presidente da construtora responsável pelos massacres. Qualquer um que tenha visto “Fuga de Nova York” já sacou a referência, não é?

Como eu ia dizendo, eles querem sequestrar o chefão da companhia para que eles os deixem viver em paz nas ruínas do Bronx, e pra isso contam também com a ajuda de um maluco especialista em explosivos chamado Strike e de seu filho, um garoto meio piromaníaco. Mas chamar o que eles fazem de plano é bondade da minha parte, já que a ação consiste em chamar a atenção dos presentes em um evento que marca o início da demolição do Bronx, a partir de um tumulto iniciado pela repórter que denuncia as matanças ocorridas no lugar. Enquanto ela esbraveja feito louca, Trash e Strike aproveitam a distração dos seguranças, que estão ocupados baleando a moça à queima-roupa em frente a toda imprensa, pra pegar o velho e sair correndo pelos esgotos de Nova York.

O problema é que o vice-presidente da tal construtora está afim de puxar o tapete do chefe, e vê no sequestro a desculpa perfeita pra matar dois coelhos com uma cajadada só. Ele ordena que o lider do D.A.S avance sobre o Bronx com força total, mostrando que o abrigo das gangues é totalmente inútil, pois um ataque com gás venenoso nas tubulações de ar faz com que todos corram pra fora do lugar como um bando de baratas tontas. Isso dá início a uma grande guerra entre os homens do D.A.S e os moradores do Bronx (bom, nem tão grande assim; como eu já disse, não haviam muitos figurantes disponíveis), onde Trash mostra mais uma vez o poder de fogo de seu treisoitão, que além de balas infinitas dispara explosivos quando conveniente.

E é isso, pessoal. O presidente é assassinado por seus próprios homens; os rebeldes destroem as tropas do D.A.S e tudo acaba sem nenhuma conclusão. O mais provável é que tudo tenha sido demolido a mando dos novos diretores da empresa, tornando toda luta inútil. Mas apesar disso, acreditem: o filme é bem divertido — pra quem curte ação e uma boa dose de falta de noção.

Escape From The Bronx (Fuga dal Bronx)
País/ano de produção: Itália, 1983 
Duração: 89 minutos
Direção: Enzo G. Castellari
Elenco: Mark Gregory, Henry Silva, Valeria D’Obicii

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Secret Lab’s story.