Você é um transicionista?

Descubra quem são e se você é um deles

Sabemos que a mudança é necessária, mas qual caminho seguir?

Uma mudança de consciência e valores sem precedentes está acontecendo no mundo todo, e parafraseando Gustavo Tanaka, há algo de grandioso acontecendo no mundo, as redes sociais e a conectividade global incentivam o aumento exponencial dos questionamentos do que não faz mais sentido no nosso modo de viver, também nos permite compartilhar alternativas e soluções de quem planeja ou já está fazendo a travessia para uma vida com mais significado e propósito.

Mas quem são os transicionistas, no que acreditam, o que fazem, onde vivem?

A transição é um movimento de mudança interior em resposta ao questionamento das estruturas e estilos de vidas sociais vigentes . A pessoa que já passou por esse processo de questionamento de valores internos do que não quer mais pra sua vida e busca soluções para implementar esses novos valores no mundo externo é um transicionista, estando na fase inicial do desejo ou se já está na execução de ações para chegar nesse objetivo.

O que era um movimento individual isolado está se tornando uma busca por grupos de pessoas que querem fazer a transição, se reunindo por afinidade de interesses e buscas em comum, existem transicionistas de estilo de vida, alimentação, forma de trabalhar, modo de se relacionar, moradia em comunidades fora da cidade grande, desenvolvimento pessoal e autoconhecimento, e muitas outras áreas da vida, sendo que os transicionistas mais ambiciosos querem mudar suas vidas e o mundo em todos esses quesitos e muitos outros.

Na teoria tudo é muito lindo, mas na prática fazer essa transição é um processo que não é fácil pode demorar, há momentos em que pensamos em desistir, parece tão mais fácil seguir dentro da zona de conforto da rotina e vidinha familiar que parece segura.

Essa vontade de desistir não dura muito tempo, pois é justamente a rotina sem aventura e a sensação de estar desperdiçando a vida que faz da transição uma necessidade, o transicionista não consegue aceitar viver de forma medíocre sem poder explorar as possibilidades do mundo, suas culturas, suas aventuras, a paixão de encarar o desconhecido, se surpreendendo com brilho nos olhos por estar vivendo uma vida cheia de gratidão.

O transicionista não quer morrer com a sensação que não aproveitou sua vida o suficiente, que não amou o suficiente, seu coração pulsa por fazer a diferença no mundo, quer realizar um propósito com o melhor que pode doar ao mundo com seus talentos e dons, sonha em deixar um legado de transformação para sua descendência e próximas gerações.

Para onde vai a economia? Como vamos viver daqui uma década? Quais alternativas para fugirmos de um modelo baseado na escassez e robotização que se alimenta do consumismo de um sistema de vida que vai acabar devorando a si próprio?

Essas e muitas outras perguntas estão em aberto, não sabemos para onde vamos, só sabemos que não queremos mais fugir dessa jornada, a nova era da busca pelos novos horizontes de uma vida mais significativa desperta em nossos corações uma fagulha ardente, e é essa paixão e fome de vida que nos faz almejar mais do que nossos pais tiveram, criando um mundo onde a felicidade e bem estar de todos estejam acima de qualquer coisa.

Se esse texto tocou você de alguma forma, seja bem vindo, pois você é um Transicionista.

Silvano Ozyrys
Escritor, Coach, Psicoterapeuta Corporal e Idealizador do Projeto Amor Evolutivo.