Homem, 31 anos, com o nariz torto, 1,77 (nada de basquete para você), 75kg (nada de rugby ou futebol americano idem), pé 41 (número respeitado pela indústria de calçados), sem talentos para a música (nenhum mesmo), ou para ser super-herói.

Porém, tenho experiência: já capinei, troquei pneus de carros, nadei com um peixe-boi, pesquei, atolei e desatolei um carro, plantei feijão em algodão, montei computadores, abri garrafas de vinho sem sacarrolhas, atirei o pau no gato e me arrependi, subi e caí de arvores, caí de bicicletas e deixei parte do meu joelho no chão, tirei bicho-do-pé do meu pé, comi iguarias baianas e não passei mal, sobrevivi a infecções tropicais, nadei em Rios e em um Oceano, naveguei e enjoei, pesquei uma pobre e pequena serpente marinha, já joguei futebol, já chutei uma pedra, cabeceei uma janela, limpei cisternas, apreendi cabras, lavei roupas e já preparei kibe. A maior parte disto de forma não remunerada.

Pelo explicitado, tenho vivência para falar besteira.